03:35 08 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Casa destruída por bombardeio no Iêmen.

    Ataques aéreos destruíram quase 400 hospitais no Iêmen

    © Sputnik / Stringer
    Oriente Médio e África
    URL curta
    212
    Nos siga no

    Quase 400 hospitais e instalações médicas no Iêmen foram destruídos durante o período da guerra de quatro anos, como resultado dos ataques aéreos da coalizão liderada pela Arábia Saudita, disse o porta-voz do Ministério da Saúde Houthi, Youssef Hadiri, em entrevista à Sputnik News, nesta quinta-feira (23).

    "Mais de 375 hospitais e instalações médicas foram destruídos devido a serem atingidos direta ou indiretamente por bombas e mísseis lançados pela coalizão", disse Hadiri. O porta-voz acrescentou que o setor médico iemenita está em estado crítico devido à guerra.

    Hadiri ainda disse que mais de 5 mil pessoas no Iêmen precisam passar por diálise ou transplantes renais e que, no período da guerra, pelo menos 1,2 mil pessoas morreram por não receberem o tratamento ou a medicação necessária para doença renal. Além disso, o porta-voz disse que a crise humanitária no Iêmen levou à morte de mais de 700 mil pessoas.

    Hadiri disse à Sputnik News, na semana passada, que seis pessoas, incluindo quatro crianças, foram mortas em um ataque aéreo da coalizão na capital iemenita de Sanaa. Enquanto isso, 56 pessoas, incluindo duas mulheres russas, ficaram feridas.

    O Iêmen está há anos envolvido em um conflito entre as forças do governo, liderado pelo presidente Abd Rabbuh Mansour Hadi, e os rebeldes Houthi. A coalizão liderada pela Arábia Saudita vem realizando ataques contra os Houthis a pedido de Hadi desde março de 2015.

    Mais:

    Mídia: 2 russas são feridas em trabalho no Iêmen após ataque de coalizão saudita
    Retirada das tropas houthis dos portos no Iêmen está sob controle da ONU
    Poderosa e rara pistola russa é vista pela 1ª vez no Iêmen (FOTO)
    Trump é 'servo' dos sauditas por apoio ao genocídio no Iêmen, diz possível rival em 2020
    Tags:
    Guerra do Iêmen, Abd Rabbuh Mansour Hadi, Youssef Hadiri, Arábia Saudita, Iêmen
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar