18:13 15 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Agentes do Corpo de Guardiões da Revoluçao Islâmica durante a parada militar anual que marca aniversário do início de guerr com o Iraque de 1980-1988, Teerã, Irã, 2015

    Comandante iraniano compara EUA com edifício do World Trade Center em 11 de setembro

    © AFP 2019 / ATTA KENARE
    Oriente Médio e África
    URL curta
    8241
    Nos siga no

    O comandante do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica do Irã, general de brigada Hossein Salami, ironizou com a administração de Donald Trump usando uma alusão aos atentados de 11 de setembro, em uma dolorosa referência aos ataques ao World Trade Center em 2001, em meio às tensões crescentes entre o Irã e os EUA.

    "O sistema [político norte-americano] tem um corpo aparentemente enorme, mas sofre de osteoporose", disse Salami à agência de notícias Fars.

    "De fato, os EUA são como um prédio do World Trade Center que colapsa com um golpe súbito", referiu ele, acrescentando que o sistema americano "quebrou e perdeu força".

    Entretanto, o general sublinhou que o Irã não está buscando a guerra, enquanto, segundo ele, "a diferença entre nós e eles é que eles têm medo de guerra e não têm vontade para isso".

    Anteriormente, o ministro das Relações Exteriores do Irã, Mohammad Javad Zarif, disse que "não haverá guerra porque nem nós procuramos uma guerra, nem ninguém na região tem alucinações de que possa enfrentar o Irã ".

    Ao mesmo tempo, o chanceler iraniano sublinhou que há pessoas no círculo do presidente estadunidense Donald Trump que "procuram pretextos" para conduzir o país para uma guerra com o Irã, mesmo que Trump pessoalmente tenha dito que não quer que isso aconteça, disse o ministro.

    As tensões entre os EUA e o Irã têm aumentado desde que Donald Trump assumiu a presidência dos EUA, mas nos últimos tempos o conflito se agravou ainda mais. Os americanos anunciaram o fim das isenções de sanções por compra do petróleo iraniano concedidas a vários países em 2018, bem como enviaram vários navios de guerra e bombardeiros estratégicos B-52 para a região com o objetivo de enviar "uma mensagem clara e inequívoca" a Teerã.

    Mais:

    Não haverá guerra, apesar do desejo de aliados de Trump, diz chanceler do Irã
    Arábia Saudita: não queremos guerra com Irã, mas estamos prontos
    Tags:
    Corpo de Guardas da Revolução Islâmica (IRGC), EUA, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar