23:05 19 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    O presidente dos EUA, Donald Trump (E) e o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, falando com repórteres antes de sua reunião no Hotel King David, em Jerusalém, em 22 de maio de 2017

    EUA apoiam Israel para serem 'donos' do Oriente Médio, diz diplomata palestino

    © REUTERS / Jonathan Ernst
    Oriente Médio e África
    URL curta
    541
    Nos siga no

    Os EUA apoiam Israel porque querem "controlar" o Oriente Médio e não se importam em cometer crimes contra a humanidade, afirmou o embaixador da Palestina no Uruguai, Walid Abdel Rahim, à Sputnik nesta terça-feira.

    "Os EUA apoiam Israel, pois querem se tornar donos do Oriente Médio, eles querem controlar tudo e querem Israel como sua mão na região [...] o Sr. Trump pensa que pode conseguir o que ele quer com a pressão sobre os palestinos e países árabes, não se importa em cometer crimes contra a humanidade", disse Rahim.

    Em 14 de maio de 2018, os Estados Unidos transferiram oficialmente sua embaixada de Tel Aviv para Jerusalém, em meio a protestos maciços dos palestinos. Essa decisão gerou o ressurgimento das relações entre Israel e a Autoridade Nacional Palestina.

    O último relatório do Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA, na sigla em inglês) afirmou em 27 de dezembro de 2018 que a agressão do Exército israelense deixou 29.718 palestinos feridos e 295 mortos.

    Rahim comentou que a decisão dos EUA de transferir sua embaixada violou o direito internacional, porque essa cidade é um "território ocupado" pelos israelenses desde 1967, conforme indicado pelas resoluções das Nações Unidas.

    "Eles estão planejando aniquiliar o povo palestino e, assim, colocar o Oriente Médio sob a tutela e controle militar norte-americano e israelense [...] toda sexta-feira em que o povo palestino reivindica o seu direito de voltar matam umas 40 pessoas", acrescentou.

    No entanto, as decisões de Trump não vão impedir os palestinos, disse o embaixador.

    "A força da luta da Palestina é a justiça, temos 140 países que reconhecem o Estado palestino e que não gosta de Trump, que criou um grupo de contrabandistas de armas para matar civis, nossa força e nossas armas são leis internacionais e resoluções das Nações Unidas", complementou.

    O diplomata pontuou que a Rússia tem sido um "importante aliado" para a Palestina, uma vez que sempre fez esforços em favor da conciliação.

    No final de 2017, Trump anunciou que os Estados Unidos reconheceram oficialmente Jerusalém como a capital de Israel e transferiram sua embaixada para lá. Esta decisão provocou críticas severas por parte da comunidade internacional.

    No entanto, Austrália, Guatemala, República Tcheca, Brasil e Paraguai se curvaram ao reconhecimento de Jerusalém. O Paraguai, após uma mudança de governo, reverteu a decisão.

    Mais:

    Israel deixa 20 palestinos feridos após confronto em Gaza
    Emir do Catar envia quase US$ 500 milhões à Palestina após confrontos em Gaza
    Palestina não aceitará nenhum plano de paz que não inclua Jerusalém, diz chanceler
    Tags:
    palestinos, judeus, diplomacia, Benjamin Netanyahu, Donald Trump, Palestina, Israel, Oriente Médio, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar