22:36 23 Maio 2019
Ouvir Rádio
    Militares de Sri Lanka (imagem referencial)

    Comandante do Exército do Sri Lanka diz que assinar acordo militar com EUA é 'suicídio'

    © REUTERS / Dinuka Liyanawatte
    Oriente Médio e África
    URL curta
    11100

    O tenente-general Mahesh Senanayake, comandante do Exército do Sri Lanka, manifestou-se contra a assinatura de um acordo de defesa com os EUA, que prevê a criação de uma base militar americana na ilha e mantimento da mesma à custa do Sri Lanka.

    "Como podemos assinar um acordo desses? Não podemos concordar com o que está indicado nele. É como cometer suicídio depois de passar todas as minhas propriedades para outra pessoa", disse o comandante, citado pelo portal Lankaweb.

    De acordo com o oficial, depois de recente série de atentados na ilha, muitas potências regionais e globais estão tentando se beneficiar com a localização estratégica do Sri Lanka. O projeto dos EUA prevê que o Sri Lanka forneça todas as condições necessárias para destacamento e manutenção da base militar.

    Além disso, o tratado impõe uma obrigação ao Sri Lanka de tomar o partido de Washington em qualquer conflito militar, limitando significativamente a capacidade do Sri Lanka de realizar manobras diplomáticas.

    Como observado pela edição Ceylon Today, as repetidas indicações da liderança do Sri Lanka na possibilidade de assinar tal acordo provocaram uma discussão pública e protestos da oposição. Oposicionistas exigiram que o governo interrompa o processo de negociação do acordo, indicando que se for assinado, será extremamente difícil rompê-lo. Segundo a maioria dos partidos de oposição, o acordo com os EUA mina a soberania do país.

    Mais:

    Análise: exercícios militares da OTAN comprovam militarização acelerada dos países bálticos
    Analistas revelam custo de possível retirada dos EUA da OTAN
    70 anos da OTAN: será que aliança está se tornando obsoleta e enfrenta problemas graves?
    Tags:
    comandante, militar, acordo, EUA, Sri Lanka
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar