14:21 23 Maio 2019
Ouvir Rádio
    Pôster Talibã no Afeganistão

    Talibã acusa 'invasores americanos' e tropas afegãs de morte de civis

    © REUTERS / Jim Hollander
    Oriente Médio e África
    URL curta
    203

    O principal porta-voz do movimento terrorista Taliban, Zabihullah Mujahid, acusou neste domingo os "invasores americanos" e seus partidários no Afeganistão de terem matado e ferido dezenas de civis em seus recentes ataques contra o grupo em todo o país.

    "Por volta das 23h da noite passada [18:30, sábado, GMT], uma incursão foi realizada nas aldeias Dalil e Khano, distrito de Shilgar, província de Ghazni, durante a qual saquearam casas, roubaram objetos de valor e mais tarde executaram impiedosamente seis civis inocentes… Além disso, um ataque também foi realizado na aldeia Yakhshi do distrito de Khwaja Umari [em Ghazni], durante o qual eles explodiram portões de casas, roubaram objetos de valor, espancaram os moradores e levaram embora o imã da mesquita local", alegou Mujahid em um comunicado.

    Ele acrescentou que "as chamadas forças de comando" mataram mais um civil em Ghazni, já que haviam atirado indiscriminadamente em moradores das aldeias de Spinda e Jabbarwalo.

    "Um ataque semelhante foi realizado em um vilarejo na área de Loe Qachi, na capital de Kunduz [província], onde derrubaram portões de casas com explosivos e roubaram objetos de valor antes de levar quatro estudantes de um seminário religioso e seis aldeões locais. Também foi realizada uma ação em Reigan Manda da região de Qala-e-Gaz no distrito de Gereshk, província de Helmand, durante a qual saquearam casas e lojas locais, espancaram severamente moradores, incendiaram três veículos particulares e várias lojas e levaram três donos de lojas captivos", prosseguiu Mujahid.

    Todos esses ataques ocorreram logo após os ataques aéreos terem alvejado uma van civil na província de Paktika, no leste do Afeganistão, deixando 15 civis mortos, lembrou Mujahid.

    "Esses crimes de guerra estão ocorrendo contra o povo afegão pois todas as organizações de direitos humanos adotaram o papel de espectadores. A nação afegã é uma testemunha de todos esses crimes e opressão pelos invasores e inimigos domésticos e deve se vingar por todas as perdas", acrescentou.

    O Afeganistão enfrenta instabilidade política, social e na área de segurança em função das atividades do movimento talibã e do grupo terrorista do Daesh (ambos banidos na Rússia). As forças de segurança do Afeganistão estão envolvidas em operações antiterroristas em todo o país.

    Mais:

    General: EUA devem manter tropas no Afeganistão como 'enquanto insurgência existir'
    Forças do Afeganistão matam liderança local do Daesh
    Após derrota na Síria, terroristas fogem em direção à África e Afeganistão, diz UE
    EUA: 'Não há evidência de que a Índia use o Afeganistão para prejudicar o Paquistão'
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar