11:53 23 Maio 2019
Ouvir Rádio
    Membros do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica iraniano (foto de arquivo)

    WSJ: Irã planeja ofensiva contra forças dos EUA no Oriente Médio

    © AP Photo / Vahid Salemi
    Oriente Médio e África
    URL curta
    17246

    A inteligência dos EUA obteve informações de que o Irã planeja atacar as forças dos EUA no Oriente Médio, o que, por sua vez, fez Washington aumentar sua presença militar na região, escreve a mídia americana, citando funcionários dos EUA.

    Segundo as fontes do The Wall Street Journal, os serviços de inteligência dos EUA descobriram que o Irã "planeja atacar as forças dos EUA no Iraque e, possivelmente, na Síria, bem como organizar ataques no estreito de Babelmândebe, perto do Iêmen, graças às forças sob seu controle" nessa área.

    Além disso, o Irã supostamente tentou atacar os militares dos EUA no Kuwait e também no golfo Pérsico usando drones armados.

    As fontes do jornal afirmam ter ficado surpreendidas "pelo grande detalhe dos planos iranianos e do fato de que os americanos são mencionados como possíveis alvos".

    Conforme indicam as fontes, o chefe do Comando Central dos EUA, general Kenneth McKenzie, solicitou tropas adicionais depois de receber informações sobre a ameaça às forças dos EUA. Em resposta ao pedido, a Administração dos EUA decidiu enviar para a região um grupo de combate aéreo, composto por cerca de seis caças e provavelmente sistemas antiaéreos Patriot.

    Anteriormente, foi relatado que os Estados Unidos estão enviando o porta-aviões USS Abraham Lincoln e uma força-tarefa de bombardeiros para perto do Irã. Segundo declarou o assessor de segurança nacional dos EUA, John Bolton, o objetivo dessa medida é enviar "uma mensagem clara e inequívoca" a Teerã.

    Em meados de abril, o presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou a decisão de classificar o Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica (IRGC, na sigla em inglês) como organização terrorista,

    Em resposta, o Conselho Supremo de Segurança Nacional do Irã classificou o Comando Central dos Estados Unidos (Centcom) como organização terrorista e designou os EUA como país patrocinador do terrorismo.

    Mais:

    Força pode ser último instrumento dos EUA na questão do Irã, diz analista
    Vice-ministro: Irã vende petróleo em 'mercado cinza' para combater as sanções dos EUA
    Rússia continuará cooperando com Irã, apesar das ameaças de sanções dos EUA
    Irã responde a 'ultimato nuclear' dos EUA
    Tags:
    tropas, ofensiva, ataque, planos militares, inteligência, Comando Central das Forças Aéreas dos Estados Unidos, Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica, John Bolton, golfo Pérsico, Oriente Médio, EUA, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar