14:19 20 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Emir do Qatar, Tamim bin Hamad al-Thani (arquivo)

    Emir do Catar envia quase US$ 500 milhões à Palestina após confrontos em Gaza

    © AFP 2019 / FAYEZ NURELDINE
    Oriente Médio e África
    URL curta
    9234
    Nos siga no

    O emir do Catar, Tamim bin Hamad al Thani, ordenou a transferência de 480 milhões de dólares aos palestinos da Faixa de Gaza e da Cisjordânia em meio a um novo aumento das tensões com os israelenses, segundo informou o Ministério das Relações Exteriores catarense.

    "O emir Tamim bin Hamad al Thani decretou destinar 480 milhões de dólares para os irmãos palestinos na Cisjordânia e na Faixa de Gaza", disse a chancelaria por meio de um comunicado. 

    A bandeira palestina tremula sobre o Jardim das Rosas, na sede das Nações Unidas.
    © AP Photo / Craig Ruttle
    De acordo com as autoridades do Catar, o montante destinado aos palestinos busca refletir as relações de irmandade entre os dois povos e ajudar o povo palestino a satisfazer suas necessidades em meio a difíceis circunstâncias impostas pelas forças de ocupação israelenses e à diminuição da assistência humanitária internacional.

    Na manhã desta segunda-feira, após um fim de semana de ataques e retaliações entre israelenses e palestinos na Faixa de Gaza, uma autoridade palestina anunciou um novo acordo de cessar-fogo na região, mediado por Catar, Egito e pelas Nações Unidas. O balanço de mortos é de 4 vítimas israelenses e 25 palestinos, incluindo um bebê de 4 meses, uma criança de 12 anos e duas mulheres grávidas.

    Mais:

    VÍDEO mostra momento exato em que míssil israelense atinge moto em Gaza
    Trump diz que apoia '100%' as ações de Israel na Faixa de Gaza
    Netanyahu ordena que Exército continue 'ataque maciço' contra militantes em Gaza
    Israel envia brigada de tanques para fronteira com Gaza
    Tags:
    ONU, Tamim bin Hamad Al Thani, Egito, Catar, Israel, Palestina, Faixa de Gaza, Gaza, Cisjordânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar