05:06 23 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Míssil iraniano

    Israel acusa Irã de ter violado direito internacional com disparo de míssil em Golã

    © AP Photo / Vahid Salemi
    Oriente Médio e África
    URL curta
    411050
    Nos siga no

    De acordo com Israel, o míssil iraniano disparado na área ocupada das Colinas de Golã violou o direito internacional.

    O míssil terra-terra de médio alcance, que supostamente foi transferido do Irã para a Síria em janeiro de 2016, teria violado o anexo B da Resolução 2231 do Conselho de Segurança das Nações Unidas, afirma o embaixador de Israel na ONU, Danny Danon.

    Danon também ressaltou que o suposto míssil iraniano "não voou menos de 60 quilômetros" e estava equipado com uma "ogiva precisa", afirmando uma ação para parar estas atividades é de responsabilidade do conselho das Nações Unidas, bem como para garantir a segurança da região.

    Segundo a resolução 2231, o Irã está proibido de transferir qualquer equipamento militar para um país estrangeiro, segundo o portal IHS Janes

    Após o suposto transporte do míssil, o Exército sírio realizou um ataque em retaliação, depois que um projétil israelense atingiu a região oeste da Síria.

    Israel tem realizado ataques aéreos no território sírio para destruir instalações militares iranianas e escoltas com armamentos. Os israelenses alegam que os iranianos estejam transferindo armamento para o Hezbollah para, consequentemente, ser utilizado contra Israel.

    Entretanto, Irã nega presença militar na Síria, afirmando que está no país apenas para instruir militarmente a pedido do governo sírio.

    Mais:

    Decisão dos EUA sobre as Colinas de Golã viola resoluções da ONU, diz Putin
    Rei saudita rejeita decisão americana sobre estatuto das Colinas de Golã
    Diplomata sírio sugere que os EUA deem estados a Israel ao invés de apoio sobre Golã
    Tags:
    Exército, direito internacional, transporte militar, míssil, ONU, Colinas de Golã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar