10:41 25 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    482
    Nos siga no

    O grupo libanês Hezbollah alertou sobre uma possível retaliação do Irã e de seus aliados contra sanções norte-americanas, dizendo, nesta quarta-feira (10) que todas as opções estavam na mesa caso Washington tomasse medidas que "ameacem nossa nação".

    Sayyed Hassan Nasrallah, líder do grupo armado xiita, apoiado pelos iranianos, disse que a decisão dos EUA de designar a Guarda Revolucionária do Irã como uma organização terrorista reflete o fracasso da política norte-americana no Oriente Médio.

    O Irã e seus aliados, que incluem o Hezbollah, apenas condenaram as sanções dos EUA, disse Nasrallah, antes de acrescentar que isso "não é uma política permanente e fixa", conforme publicado pela agência Reuters.

    "Existem medidas que, se tomadas pelos americanos […] quem disse que permanecerão sem resposta?", disse o líder em um discurso transmitido pela televisão em um evento para os combatentes feridos do Hezbollah.

    "Haverá uma resposta apropriada, com certeza", disse ele. O Irã e seus aliados têm "muitas cartas poderosas", acrescentou.

    O Hezbollah foi fundado pela Guarda Revolucionária em 1982 e há muito tempo é designado como um grupo terrorista pelos Estados Unidos. O governo do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, reforçou as sanções contra o Hezbollah como parte de sua ampliação na política regional para combater o Irã.

    O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, disse nesta quarta-feira (10) que Trump continuaria a aumentar a pressão sobre o Irã.

    Mais:

    Inteligência israelense: Hezbollah está formando secretamente grupo na Síria contra Israel
    Líder do Hezbollah: 'Israel está com medo de nova guerra'
    Hezbollah diz que Trump é 'hipócrita' sobre papel dos EUA na luta contra o Daesh
    Hezbollah avisa que está pronto caso Israel lance guerra
    Netanyahu: Hezbollah tem boas razões para temer a 'força de ataque mortal' de Israel
    Tags:
    Irã, Reuters, Departamento de Estado dos EUA, Hezbollah, Mike Pompeo, Sayyed Hassan Nasrallah, Donald Trump, EUA, Líbano, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar