15:11 22 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Fuzileiros navais norte-americanos em al-Qaim, perto da fronteira síria, oeste do Iraque (Arquivo)

    Iraque se aproxima do Irã e promete controle rígido da presença militar dos EUA no país

    © AFP 2019 / USMC
    Oriente Médio e África
    URL curta
    13371

    Comandante iraquiano prometeu que Bagdá assumiria um controle mais rigoroso da presença militar dos EUA em solo iraquiano, um dia depois do líder supremo do Irã, Ali Khamenei, ter dito que os EUA precisam deixar o Iraque "o mais rápido possível".

    Teerã e Bagdá concordaram em reforçar a "cooperação na defesa aérea" bilateral, disse Mohammad Baqeri, comandante do Estado Maior das Forças Armadas do Irã aos jornalistas neste domingo.

    Bageri fez o anúncio após se reunir com o seu colega iraquiano, Othman al-Ghanimi, em Teerã no início do dia.

    O comandante iraniano enfatizou que as negociações se concentraram na "defesa integrada do Irã e do Iraque, porque podemos sentir ameaças vindas em direção das nossas fronteiras ocidentais".

    Baqeri acrescentou que os dois lados também concordaram em possíveis exercícios militares conjuntos.

    Baqeri também citou o comandante iraquiano que prometeu controlar a presença militar dos EUA no território iraquiano — um dia depois do líder supremo iraniano, Ali Khamenei, ter pedido a Bagdá que assegurasse a retirada das tropas dos EUA do Iraque o "mais rápido possível".

    Mais cedo, a revista Foreign Policy informou, citando autoridades dos EUA, que o governo do presidente Donald Trump está considerando a possibilidade de cortar pessoal diplomático no Afeganistão e no Iraque ainda este ano.

    Durante uma visita surpresa ao Iraque no final do ano passado, o presidente Donald Trump disse que "não tem nenhum plano" para remover as tropas americanas do país, enfatizando seu interesse em querer que mais soldados sejam enviados para lá da Síria.

    Referindo-se às enormes somas de dinheiro que estão sendo gastas na base militar dos EUA no Iraque em uma entrevista à CBS Trump deixou claro que uma das razões seria "observar" o Irã, porque o "Irã é um problema real".

    Mais:

    Iraque: centro antiterrorista conjunto com Rússia, Síria e Irã garante segurança global
    'Chegar o mais próximo possível do Irã': político russo explica presença dos EUA no Iraque
    Coalizão liderada pelos EUA matou mais de 1.100 civis na Síria e no Iraque desde 2014
    Iraque sugere maior papel na Síria após a retirada dos EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar