22:57 23 Maio 2019
Ouvir Rádio
    Forças líbias leais ao governo apoiado pela ONU

    Forças governamentais líbias contiveram ofensiva do comandante Haftar, diz fonte

    © REUTERS / Stringer
    Oriente Médio e África
    URL curta
    634

    As forças que apoiam o Governo de União Nacional em Trípoli conseguiram impedir o avanço das tropas comandadas pelo marechal Khalifa Haftar, segundo afirmou à Sputnik uma fonte próxima ao primeiro-ministro Faez Sarraj.

    De acordo com a fonte, os combatentes de Haftar avançaram ao oeste, em particular, ocuparam a cidade de Garyan e se consolidaram na área do posto de controle, a 27 quilômetros da capital do país, Trípoli.

    "No entanto, hoje de madrugada, as forças de Trípoli e de Az-Zawiya se juntaram e os cercaram [combatentes de Haftar]."

    Além do mais, a fonte conhecedora da situação destacou que 150 militares foram capturados e 60 carros foram apreendidos das tropas de Haftar.

    "A situação na estrada que corre ao longo da costa é estável, [a estrada] está aberta", assegurou, acrescentando que o chefe do governo em Trípoli visitou recentemente a área.

    Nas palavras do interlocutor da agência, a situação na capital da Líbia é calma.

    Anteriormente, uma fonte do Exército Nacional da Líbia, comandado pelo marechal Khalifa Haftar, assegurou que militares assumiram controle de várias áreas no sudoeste da capital do país.

    Previamente, a agência Al Arabyia informou que o comandante líbio ordenou ofensiva na cidade de Trípoli para "libertá-la dos terroristas".

    Mais:

    Blindado soviético de modernização rara é avistado na Líbia (VÍDEO)
    14 trabalhadores sequestrados da Tunísia são libertados na Líbia
    União Africana propõe que sejam realizadas eleições na Líbia em outubro de 2019
    Forças do leste da Líbia bombardeiam campo petrolífero
    Tags:
    governo, tropas, bloqueio, ofensiva, Exército Nacional da Líbia, Governo de Acordo Nacional, Khalifa Haftar, Trípoli, Líbia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar