03:04 19 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Workers install wires on a 'Golden Bridge of Silk Road' structure on a platform outside the National Convention Center, the venue which will hold the Belt and Road Forum for International Cooperation, in Beijing

    Nova Rota da Seda chinesa ligará a África ao resto do mundo, diz oficial africano

    © AP Photo / Andy Wong
    Oriente Médio e África
    URL curta
    351

    A iniciativa multibilionária chinesa Nova Rota da Seda complementará o crescimento do livre comércio continental africano, de acordo com Aboubaker Omar Hadi, presidente do Djibouti Ports e Free Zone Authority.

    "Estou esperando mais movimentos de mercadorias, desenvolvimento de infraestrutura do segundo Fórum para Cooperação Internacional, previsto para abril em Pequim, bem como maior interconexão entre a África e o resto do mundo", declarou à agência chinesa Xinhua durante o Fórum CEO África.

    Hadi explicou que os projetos que envolvem cooperação com a China (como a ferrovia Etiópia-Djibouti e o Porto Multiusos Doraleh e a zona de livre comércio internacional) estão ajudando o Djibouti a promover o comércio na África, bem como a distribuição na região da África Oriental.

    O funcionário acrescentou que mais de US$ 40 bilhões em exportações e importações foram registrados através dos portos de Djibuti, o que não poderia ser alcançado sem o desenvolvimento de infraestrutura adequada, como portos e conexões ferroviárias.

    Segundo Hadi, a infraestrutura adequada ajudará o comércio no continente africano a florescer porque o Djibouti serve como porta de entrada para grandes mercados fora da África.

    Ele também declarou que as acusações contra a China feitas por países ocidentais sobre deixar alguns países africanos cair em uma armadilha da dívida devido à cooperação com a iniciativa Nova Rota da Seda são "completamente sem sentido", já que os benefícios gerados pela construção de infraestrutura excederão em muito o investimento.

    O megaprojeto de desenvolvimento e investimento da Nova Rota da Seda, anunciado há seis anos pelo presidente Xi Jinping, abrange 152 países da Europa, Ásia, Oriente Médio, América Latina e África. Espera-se que aumente significativamente o comércio global, reduzindo os custos de comercialização pela metade para os países envolvidos.

    Mais:

    Itália pode usar Rota da Seda chinesa para amenizar sanções à Rússia, diz ex-chanceler
    EUA tentam demover a Itália de se unir à Nova Rota da Seda da China
    'Alianças políticas': Rota da Seda chinesa poderá cruzar América Latina
    Tags:
    infraestrutura, comércio, relações bilaterais, economia, nova rota da seda, Aboubaker Omar Hadi, Xi Jinping, Djibouti, China, África
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar