15:12 20 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu

    Israel 'responderá com força' ao ataque a partir da Faixa de Gaza, diz Netanyahu

    © AFP 2019 / SEBASTIAN SCHEINER
    Oriente Médio e África
    URL curta
    333
    Nos siga no

    O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, decidiu terminar sua visita aos EUA antes do prazo previsto e voltar a Israel para gerir uma operação de resposta ao ataque realizado a partir da Faixa de Gaza.

    Na manhã de hoje (25), um foguete atingiu uma residência ao norte de Tel Aviv. As autoridades locais relataram que sete pessoas foram feridas no ataque, incluindo crianças.

    "Devido a questões de segurança eu decidi interromper a minha visita aos EUA. Daqui a algumas horas eu vou me encontrar com o presidente [dos EUA Donald] Trump e vou voltar imediatamente a Israel, para gerir nossas ações dali", disse Netanyahu, citado pela sua assessoria de imprensa.

    O primeiro ministro, que também encabeça o Ministério da Defesa, declarou que realizou consultas com o chefe do Estado-Maior, a Agência de Segurança de Israel (Shabak) e o Conselho de Segurança Nacional.

    "O Estado de Israel foi submetido a um ataque criminoso e responderemos com força", disse o primeiro-ministro.

    A visita de Netanyahu aos EUA, que começou hoje (25), deveria durar até 27 de março e, além das negociações com o presidente dos EUA Donald Trump, o primeiro-ministro israelense tinha marcado um discurso no AIPAC (Comitê de Assuntos Públicos EUA-Israel) e encontrar-se com os líderes do Congresso. Além disso, durante a visita, Trump deveria assinar um decreto reconhecendo a soberania israelense sobre as Colinas de Golã.

    Mais:

    Israel inicia construção de novo muro na fronteira com Faixa de Gaza
    Mídia palestina: Israel ataca alvos no norte da Faixa de Gaza
    Israel intercepta míssil disparado da Faixa de Gaza
    Tags:
    visita oficial, ataque, Donald Trump, Benjamin Netanyahu, EUA, Faixa de Gaza, Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar