21:06 20 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Radar (imagem referencial)

    Ilha paradisíaca é apontada por mídia como local para construção de radar grego-israelense

    CC0
    Oriente Médio e África
    URL curta
    623
    Nos siga no

    As duas nações do Mediterrâneo Oriental, bem como Chipre, têm se aproximado militar e economicamente, e até planejam construir na região um gasoduto subaquático estimado em US$ 8 bilhões (R$ 30 bilhões).

    O radar Long Horizon, com capacidade de monitoramento da bacia do Mediterrâneo Oriental, será construído por Israel e Grécia no leste de Creta, informou o jornal grego Kathimerini. Ambos os países poderão monitorar a região.

    A mídia não divulgou o custo do projeto, dizendo apenas que "não é insignificante", especialmente levando em consideração a redução do orçamento militar da Grécia. De acordo com a agência, os países têm intensificado a cooperação nos últimos tempos, reforçando, entre outras esferas, os laços militares.

    A Grécia concordou em trocar experiência com Israel em prol da Marinha grega. Segundo informou o jornal, até o fim deste mês, 40 militares israelenses sairão de Haifa para Creta, sem quaisquer paradas no Chipre, para se juntar às Forças Armadas gregas durante os próximos exercícios militares e regressarão a Haifa após passarem por Milos e Rodes.

    O jornal Kathimerini ainda indica que a Grécia esteja considerando a possibilidade de reforçar arsenal com ajuda de Israel, sem contar nos sete drones alugados pela Grécia para operações de busca e resgate.

    Já o jornal israelense Haaretz adicionou que o Chipre tem os mesmos interesses de Israel na região. A lista de interesses comuns inclui posicionamento sobre a situação na Síria e no Líbano, bem como relações difíceis com a Turquia.

    Além da cooperação político-militar, que deverá ser confirmada durante a próxima cúpula trilateral grego-israelense-cipriota com o secretário de Estado americano Mike Pompeo, os três países estão desenvolvendo um importante projeto econômico, o gasoduto submarino East Med para transporte de gás natural do Mediterrâneo Oriental para a Europa através da Grécia e do Chipre.

    O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, o premiê israelense, Benjamin Netanyahu, e o presidente cipriota, Nicos Anastasiades, deverão assinar um grande acordo, acordado em 2018, em um mês, que é estimado em US$ 8 bilhões (R$ 30 bilhões), como já foi reportado pela imprensa grega.

    O gasoduto submarino East Med de 2.000 quilômetros deverá ter uma capacidade de 12 bilhões de metros cúbicos de gás anualmente, fornecendo combustível do campo de gás Leviatã de Israel, considerado uma das maiores reservas de gás jovem do mundo, e do campo de gás cipriota Afrodita. Além disso, o projeto ganhou impulso em fevereiro com anúncio da descoberta de grandes campos de gás no Chipre.

    Mais:

    'Controladas por Israel': EUA deixam de considerar Colinas de Golã 'ocupadas'
    Navios no Mediterrâneo neutralizarão todas ameaças à segurança da Rússia, diz especialista
    Mesmo gastando milhões para abri-la, misteriosa base aérea dos EUA foi fechada no Chipre
    Tags:
    cooperação, monitoramento, radar, Creta, Israel, Grécia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar