04:28 22 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Escultura de militar israelense perto de uma seta indicando as distâncias de Bagdá e Damasco perto de um posto militar nas Colinas de Golã

    Rússia: condições para atuação da ONU foram criadas nas colinas de Golã

    © AP Photo / Ariel Schalit
    Oriente Médio e África
    URL curta
    4100

    As condições necessárias para o trabalho da missão das Nações Unidas foram criadas na parte síria da zona de separação entre a Síria e Israel nas colinas de Golã, informou a polícia militar russa.

    "Criamos todas as condições para que a Força de Observação das Nações Unidas (UNDOF) estabeleça suas posições e comece a cumprir integralmente o trabalho que realizaram antes de 2013", disse o General da Polícia Militar do Ministério da Defesa da Rússia, Vladimir Ivanovski.

    UNDOF, criada em 1974, está presente nesta área para manter o cessar-fogo entre Israel e a Síria e retomou suas patrulhas nesta zona em dezembro passado, após quatro anos de ausência em função da guerra no país árabe.

    A força da ONU pôde retornar a esta área entre os dois países depois que as forças do governo sírio recuperaram o controle da província de Al Quneitra.

    Ivanovski disse que desde o final do ano passado, no lado sírio, foram implantados seis postos de observação na zona desmilitarizada.

    O Planalto das Colinas de Golã se localiza na fronteira entre Israel, Líbano, Jordânia e Síria.

    Durante a guerra de 1967, Israel ocupou parte das colinas de Golã, que pertenciam à Síria, e assumiu o controle daquele território em 1981.

    A comunidade internacional não reconhece a anexação.

    Mais:

    Síria avalia de 'arrogante' proposta de senador dos EUA sobre Golã como parte de Israel
    Netanyahu quer que EUA reconheçam soberania israelense nas colinas de Golã
    Israel encontra fragmentos de míssil sírio na sua parte das colinas de Golã
    'Colinas de Golã permanecerão para sempre em nossas mãos', afirma Netanyahu
    EUA pretendem rejeitar resolução da ONU pedindo que Israel devolva Golã à Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar