16:29 18 Março 2019
Ouvir Rádio
    Refugiados sírios se reúnem em busca de água no campo de refugiados de Rukban, na fronteira nordeste da Jordânia com a Síria (Arquivo)

    Pelo menos 5 crianças morreram no campo de refugiados Rukban nos últimos 10 dias

    © AP Photo /
    Oriente Médio e África
    URL curta
    310

    Pelo menos cinco crianças morreram no campo de refugiados de Rukban, na Síria, nos últimos dez dias. A informação foi divulgada pelo chefe do Centro Russo parar a Reconciliação Síria, Víctor Kupchishin, nesta sexta-feira (15).

    Segundo ele, os refugiados ainda não podem deixar o campo, e os norte-americanos, que controlam o local, não deixam os ônibus para evacuar os habitantes de Rukban, nem concordam em garantir a segurança dos comboios humanitários na zona de 55 quilômetros em torno de sua base.

    "De acordo com as informações que chegam ao Centro de Reconciliação, apenas nos últimos dez dias no campo morreram pelo menos cinco crianças", denunciou o exército russo.

    Ele também relatou casos de entrega de ajuda humanitária da ONU às famílias dos combatentes de grupos armados ilegais e seus apoiadores, bem como os casos de venda de ajuda a refugiados.

    "Como resultado, na ausência de meios de pagamento, a maioria dos refugiados em Rukban está, de fato, à beira da morte", alertou Kupchishin.

    Rukban está localizado na área de Al Tanaf, controlada por tropas dos EUA.

    O campo, que abriga dezenas de milhares de pessoas vivendo em condições deploráveis, foi criado na fronteira sírio-jordaniana em 2014, depois que Amã fechou a fronteira para refugiados sírios, citando razões econômicas e de segurança.

    Mais:

    Rússia e Síria pedem desmantelamento do campo de refugiados Rukban aos EUA
    Ministério da Defesa da Rússia encontra 300 novas covas perto do campo de Rukban na Síria
    Roubo e tráfico: EUA são os culpados pela tragédia no campo sírio de Rukban, diz Rússia
    Tags:
    refugiados, Centro Russo para a Reconciliação Síria, Rússia, Rukban, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar