04:26 17 Junho 2019
Ouvir Rádio
    Nuvens de fumaça negra no céu em meio a confrontos entre facções rivais da Líbia em Benghazi (arquivo)

    14 trabalhadores sequestrados da Tunísia são libertados na Líbia

    © REUTERS / ESAM OMRAN AL-FETORI
    Oriente Médio e África
    URL curta
    0 0 0

    Autoridades líbias ajudaram a libertar 14 trabalhadores tunisianos que haviam sido sequestrados por um grupo armado na Líbia, informou o governo da Tunísia.

    O Ministério das Relações Exteriores da Tunísia disse, em comunicado divulgado na noite deste domingo (17), que os reféns haviam sido sequestrados na quinta-feira na cidade de Zawiva, no oeste da Líbia, por um grupo que exigia a libertação de um líbio preso.

    Os tunisianos foram libertados e levados para escritórios das autoridades de segurança de Zawiva, diz o comunicado.

    Detalhes sobre quem havia sequestrado os trabalhadores tunisianos não foram divulgados. Os 14 foram sequestrados nos arredores de Zawiva.

    O ministro das Relações Exteriores da Tunísia, Khemais Jhinaoui, telefonou ao seu homólogo líbio para agradecer a ele e ao governo de unidade líbio por ajudar os reféns. Jhinaoui havia pressionado as autoridades líbias a agir. Ele se encontrou no sábado com o ministro das Relações Exteriores da Líbia, Mohamed Tahar Siala, nos bastidores da Conferência de Segurança de Munique, de acordo com outro comunicado do governo tunisiano.

    A Comissão Nacional de Direitos Humanos da Líbia disse no sábado que os tunisianos foram sequestrados enquanto iam para o trabalho em uma refinaria de petróleo em Zawiva. 

    Mais:

    Forças do leste da Líbia bombardeiam campo petrolífero
    Washington usa na Venezuela 'mesmo guião' que na Líbia, opina analista
    Filho de Kadhafi pede realização de eleições na Líbia 'o mais breve possível'
    Ataque suicida ocorre na sede do Ministério das Relações Exteriores da Líbia (FOTOS)
    Rússia diz que filho de Kadhafi deve poder participar das eleições na Líbia
    Tags:
    Líbia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar