15:52 17 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    261
    Nos siga no

    O ataque terrorista de terça-feira (15) em um hotel queniano deixou 21 civis e cinco terroristas mortos. O ataque foi realizado com armas e bombas no interior de um hotel em Nairobi, no Quênia.

    O grupo terrorista Al-Shabaab, ligado à al-Qaeda (grupos terroristas proibidos no território da Rússia), assumiu a responsabilidade pelo ataque.

    O empresário americano Jason Spindler, de 40 anos de idade, que foi morto durante o ataque, era um dos sobreviventes do ataque terrorista de 11 de setembro em Nova York. Na ocasião, ele ainda tentou ajudar sobreviventes a escapar, segundo declaração de sua mãe ao canal de televisão KTRK-TV.

    "[…] Eu não tenho dúvidas de que quando ele ouviu as explosões fora do hotel, ele foi um dos que tentaram pular para ajudar", declarou ao Washington Post Kevin Yu, antigo colega de turma no colégio de Jason.

    Jonathan Spindler, irmão de Jason, declarou que "Jason era um sobrevivente do 11 de setembro e um guerreiro […]", segundo a Reuters.

    A família de Jason, que está a caminho do Quênia para repatriar seu corpo, afirmou que todos sentem muito sua falta e que estão profundamente tristes pela perda de um jovem brilhante devido a um ataque terrorista.

    Após o ataque de 11 de setembro, Jason se tornou voluntário do Corpo da Paz no Peru. Posteriormente, ele iniciou sua carreira em investimento bancário, se tornando diretor de uma firma de investimentos e estava visitando o Quênia em trabalho.

    O complexo hoteleiro de luxo era muito frequentado por empresários, já que possui um centro de negócios, bancos e escritórios.

    Mais:

    Explosão e tiroteios atingem complexo hoteleiro na capital do Quênia; há 3 mortos
    Terroristas planejadores de atentado em Manbij são detidos, segundo conselho de guerra
    Terroristas de extrema-direita matam mais nos EUA do que jihadistas, diz estudo
    Tags:
    ameaça terrorista, ataque terrorista, terroristas, terrorismo, Quênia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar