10:15 24 Junho 2019
Ouvir Rádio
    Primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu (Foto de aquivo)

    Netanyahu reconhece que Israel bombardeou alvos na Síria

    © AP Photo / Sebastian Scheiner
    Oriente Médio e África
    URL curta
    17517

    Israel atacou armazéns de armas iranianos no Aeroporto Internacional de Damasco, na Síria, disse no domingo (13) o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, citado pelo jornal israelense Haaretz.

    Benjamin Netanyahu disse que as Força Aérea de Israel tinha como alvo instalações iranianas na Síria. "Os ataques recentes provam que estamos determinados a agir contra o Irã e a Síria", disse ele, citado pelo Haaretz.

    "As Forças de Defesa de Israel atacaram centenas alvos iranianos e do Hezbollah. Só nas últimas 36 horas a Força Aérea de Israel atacou armazéns iranianos cheios de armas iranianas no Aeroporto Internacional de Damasco", afirmou o primeiro-ministro israelense.

    Em 12 de janeiro, aviões israelenses realizaram vários ataques com mísseis nos arredores da capital síria. O ataque foi repelido pela defesa antiaérea da Síria e a maioria dos mísseis foi interceptada, enquanto um armazém perto do Aeroporto Internacional de Damasco foi danificado pelos ataques.

    Anteriormente, o Ministério das Relações Exteriores da Síria informou que enviou cartas às Nações Unidas após um ataque aéreo israelense perto de Damasco. A chancelaria síria pede que as Nações Unidas tomem medidas para impedir novos ataques israelenses.

    Não é a primeira vez que Israel diz que realiza ataques aéreos em território sírio contra alvos iranianos. O Irã tem negado repetidamente a presença de suas tropas na Síria, afirmando que apenas enviou conselheiros militares para ajudarem o governo sírio no combate aos terroristas.

    Mais:

    Ponto mais fraco do exército de Israel é revelado por general aposentado
    Netanyahu diz que Israel está pronto para impedir interferência cibernética nas eleições
    Tags:
    ataque aéreo, Benjamin Netanyahu, Irã, Síria, Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar