18:55 23 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Businessman and candidate Martin Fayulu casting his own vote in DR Congo's presidential elections on December 30

    Candidato derrotado nas eleições do Congo denuncia fraude e pede recontagem

    © AP Photo /
    Oriente Médio e África
    URL curta
    0 11
    Nos siga no

    Martin Fayulu, que ficou em segundo lugar na eleição presidencial na República Democrática do Congo, apelou ao Tribunal Constitucional para anular o resultado provisório que concedeu a vitória a seu rival da oposição Felix Tshisekedi, disse seu advogado neste sábado (12).

    "O pedido pede a anulação do resultado declarando o presidente Felix Tshisekedi", disse Toussaint Ekombe a repórteres diante do tribunal.

    Explicando o apelo, Fayulu disse acreditar que o chefe do eleitorado, Corneille Nangaa, tenha "violado a lei eleitoral" na votação de 30 de dezembro para escolher um sucessor do presidente Joseph Kabila.

    O resultado declarado deu a vitória a Tshisekedi com 38,5% dos votos, com Fayulu em segundo com 34,8%.

    Mas Fayulu denunciou o resultado como um "golpe eleitoral" arquitetado por Kabila no qual Tshisekedi foi "totalmente cúmplice", dizendo que a verdade do que aconteceu nas urnas só sairia com uma recontagem. "Pedimos ao Tribunal Constitucional para fazer o seu trabalho e nada mais", disse Fayulu.

    Os apoiadores do candidato derrotado afirmam que ele obteve 61% dos votos.

    "Não podemos colocar alguém no poder e começar a inventar números que permitirão a Kabila retomar o poder amanhã. Isso seria inaceitável. Não vou abandonar o povo. Vamos percorrer todo o caminho para recuperar essa vitória", disse Fayulu.

    O Tribunal Constitucional agora tem oito dias úteis para estudar o pedido antes de dar sua decisão, com o novo presidente esperado para ser empossado em 22 de janeiro.

    Mais:

    Com resultado da eleição atrasado, aumenta a tensão no Congo
    Congo: policial e civil morrem em briga por suposta fraude eleitoral
    Conselho de Segurança da ONU pede eleição sem violência no Congo
    7 soldados da ONU são mortos na República Democrática do Congo
    Tags:
    Martin Fayulu, Congo
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar