10:43 17 Janeiro 2019
Ouvir Rádio
    Aiatolá Ali Khamenei.

    Líder supremo do Irã ataca funcionários dos EUA: 'idiotas de primeira classe'

    © Sputnik / Sergey Guneev
    Oriente Médio e África
    URL curta
    8191

    O líder supremo do Irã, Ali Khamenei, atacou políticos dos Estados Unidos, chamando-os de palhaços e idiotas não confiáveis, acrescentando ainda que a política norte-americana para Teerã só fez o país florescer.

    Algumas autoridades americanas "fingem que estão loucas" e são "idiotas de primeira classe", afirmou Khamenei em um discurso na cidade de Qom, no centro-oeste do Irã, na última quarta-feira. Os comentários foram publicados posteriormente em sua conta no Twitter.

    "Alguns funcionários dos EUA fingem que estão loucos. Claro que não concordo com isso, mas eles são idiotas de primeira classe".

    "Às vezes o inimigo fala como um palhaço", continuou, observando que "uma autoridade dos EUA" disse recentemente que Teerã deveria aprender sobre a observação dos direitos humanos na Arábia Saudita.

    "Como podemos chamá-lo, mas um palhaço?", prosseguiu.

    Khamenei também escreveu que as sanções impostas ao Irã no passado permitiram à nação "florescer" e que o país "sairia desta fase".

    No início desta semana, o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, alertou que Washington estará "redobrando" os esforços diplomáticos e comerciais para colocar "uma pressão real sobre o Irã" no futuro próximo.

    Teerã e Washington estão presos em uma disputa diplomática desde que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, se retirou unilateralmente do Plano de Ação Integral Conjunto (JCPOA) sobre o programa nuclear iraniano. Ele chamou o acordo de "defeituoso em seu núcleo" e citou a desconfiança em relação ao Irã.

    A ação de Trump foi criticada pela União Europeia (UE), Rússia e China, que também são signatários do acordo. A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), encarregada de monitorar o programa nuclear do Irã, informou que o país está cumprindo o acordo.

    A Casa Branca reativou sanções contra a energia iraniana e o setor bancário, com funcionários indicando que as restrições visam a eliminar o comércio de petróleo de Teerã. A liderança da República Islâmica criticou as sanções como não provocadas e ilegais sob a lei internacional e prometeu retaliar.

    Mais:

    EUA: Irã prepara lançamento de foguete de seu centro espacial
    Retirada dos EUA da Síria não muda a estratégia contra o Irã, diz Pompeo
    Irã encontra novos potenciais compradores de petróleo mesmo com sanções dos EUA
    Tags:
    sanções, diplomacia, acordo nuclear, JCPOA, Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Donald Trump, Mike Pompeo, Aiatolá Ali Khamenei, Arábia Saudita, Estados Unidos, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik