00:37 24 Janeiro 2019
Ouvir Rádio
    Sergei Ryabkov

    Grupo liderado pelos EUA tenta impedir comitê constitucional na Síria, diz diplomata russo

    © Sputnik / Valery Melnikov
    Oriente Médio e África
    URL curta
    480

    Moscou registrou tentativas do chamado pequeno na Síria, liderado pelos EUA, para impedir a criação do comitê constitucional da sírio, disse, nesta quarta-feira (9), o vice-ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Ryabkov.

    "Nós temos observado as tentativas do chamado pequeno grupo na Síria, encabeçado pelos EUA para impedir esse processo e para mudar os membros do comitê constitucional […]. Isso causa desapontamento", disse Ryabkov durante um painel de debate no fórum Diálogo de Raisina, na capital da Índia, Nova Delhi.

    Em janeiro de 2018, os três países garantidores do processo de reconciliação de Astana para a Síria — Rússia, Irã e Turquia — concordaram em criar o comitê, que carrega a expectativa de desenhar a nova constituição da Síria.

    Já em dezembro de 2018, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, expressou que tem esperança de que o comitê possa ser criado ainda no início deste ano.

    O chamado pequeno grupo na Síria reúne Egito, França, Alemanha, Jordânia, Arábia Saudita, Reino Unido e Estados Unidos. Desde o início de 2018, membros do grupo têm realizado reuniões regulares com o objetivo final de encontrar uma solução para o conflito sírio.

    Mais:

    Senado norte-americano bloqueia lei sobre sanções contra a Rússia, Síria e Irã
    Turquia apela para coordenar com Rússia e Irã saída dos EUA da Síria
    'Na situação atual, é impossível imaginar que EUA deixem Síria', diz vice-chanceler russo
    Cairo: Síria deve implementar várias medidas para retornar à Liga Árabe
    Erdogan adverte EUA sobre 'grande erro' ao estabelecerem condições de retirada da Síria
    Tags:
    Guerra da Síria, Vladimir Putin, Sergei Ryabkov, Nova Delhi, Índia, Síria, Arábia Saudita, Egito, França, Alemanha, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik