01:49 23 Janeiro 2019
Ouvir Rádio
    Maquetas de mísseis e foguetes-portadores no território do Museu da Revolução Islâmica e Defesa Sagrada em Teerã, Irã

    Irã: 'EUA não estão em posição' de criticar testes de mísseis

    © Sputnik / Anton Bystrov
    Oriente Médio e África
    URL curta
    2162

    O ministro das Relações Exteriores do Irã respondeu à advertência do secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, de que o Irã enfrentaria severas consequências econômicas e diplomáticas se seguisse em frente com planos de realizar mais testes com mísseis balísticos.

    Os planos iranianos de lançar veículos espaciais e continuar com os testes de mísseis não violam a Resolução 2231 do Conselho de Segurança da ONU e são endossados pelo Plano de Ação Integral Conjunto sobre o programa nuclear iraniano, twittou o ministro das Relações Exteriores, Javad Zarif.

    ​De acordo com o ministro das Relações Exteriores, Washington seria o lado "em violação" da resolução do Conselho de Segurança e, como tal, "não estava em posição de dar lições para ninguém".

    Zarif também lembrou que a Resolução do Conselho de Segurança 1929, que introduziu sanções contra o Irã, em 2010, estava "morta", e que a resolução UNSCR 2231 restringe o Irã de testar mísseis "projetados para transportar armas nucleares", mas não proíbe totalmente os testes com mísseis.

    Mais cedo nesta quinta-feira, Mike Pompeo avisou que Teerã não deveria se envolver em "lançamentos provocativos" e pediu que o país "pare com todas as atividades relacionadas a mísseis balísticos para evitar um isolamento econômico e diplomático mais profundo". 

    O secretário de Estado dos EUA acusou o Irã de "desafiar" a resolução UNSCR 2231 e afirmou que os lançamentos têm um "efeito desestabilizador" no Oriente Médio e outras regiões.

    Mais:

    Sanções dos EUA afetam Irã e ministro da Saúde renuncia por cortes no orçamento
    EUA ameaçam Irã com 'maior isolamento' se este não cancelar testes de mísseis balísticos
    Irã planeja modernizar suas lanchas com tecnologia furtiva
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik