01:53 23 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    General James Terry diz que os Estados Unidos lamentam por mortes não-intencionais provocadas por ataques norte-americanos na Síria

    Coalizão liderada pelos EUA matou mais de 1.100 civis na Síria e no Iraque desde 2014

    © REUTERS / Amer Almohibany
    Oriente Médio e África
    URL curta
    321
    Nos siga no

    Ataques aéreos da coalizão liderada pelos EUA na Síria e no Iraque resultaram na morte de mais de 1.100 civis desde o início da operação Resolução Inerente em 2014, disse neste domingo a Força-Tarefa Conjunta Combinada da operação.

    "A coalizão realizou um total de 31.406 ataques entre agosto de 2014 e final de novembro de 2018. Durante este período, com base nas informações disponíveis, a CJTF-OIR avalia que pelo menos 1.139 civis foram mortos involuntariamente por ataques da coalizão desde o início da operação Resolução Inerente", disse a coalizão em um relatório.

    O documento acrescentou que 15 novos relatos de mortes de civis foram considerados confiáveis durante a última avaliação em novembro.

    "A coalizão tem trabalhado, com e através de parceiros desde 2014, para derrotar o Daesh, em áreas designadas do Iraque e da Síria, libertando cerca de 8 milhões de iraquianos e sírios do regime brutal do grupo e reduzindo o seu controle do território para aproximadamente 1% do que anteriormente detinha", acrescentou a coalizão.

    A coalizão internacional liderada pelos EUA esteve presente na Síria sem o consentimento do governo em Damasco, enquanto Bagdá deu seu consentimento para operações em território iraquiano.

    Em 19 de dezembro, o presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou a vitória sobre o Daesh na Síria, acrescentando que a luta contra o grupo terrorista foi a única razão pela qual os Estados Unidos permaneceram no país árabe.

    A porta-voz da Casa Branca, Sarah Huckabee Sanders, disse mais tarde que os Estados Unidos começaram a retirar suas tropas do país, mas que a vitória sobre o Daesh não significou o fim da coalizão liderada pelos EUA na Síria.

    O conflito armado na Síria tem durado desde 2011. No final de 2017, a vitória sobre o Daesh na Síria e no Iraque foi anunciada. No entanto, a luta contra militantes em algumas partes da Síria ainda está em andamento. No momento, o assentamento político, a restauração da Síria e o retorno dos refugiados são fundamentais para a nação dividida pelo conflito.

    Mais:

    Fonte: EUA constroem nova base na fronteira entre Síria e Iraque
    Força Aérea do Iraque destrói 2 prédios de terroristas na Síria
    Moscou: são EUA que estão atolados no Iraque e não Rússia na Síria
    Tags:
    conflito sírio, civis, bombardeio, coalizão, Daesh, Sarah Huckabee Sanders, Donald Trump, Iraque, Síria, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar