09:19 18 Abril 2019
Ouvir Rádio
    Primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, na reunião semanal de gabinete em Jerusalém, 16 de setembro de 2018

    Netanyahu: Omã autoriza Israel a operar voos em espaço aéreo nacional

    © AP Photo / Sebastian Scheiner
    Oriente Médio e África
    URL curta
    766

    O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, disse nesta segunda-feira que as autoridades de Omã permitiram que aviões israelenses usassem o espaço aéreo do país para voos, acrescentando que Israel estava trabalhando para conseguir uma autorização similar da Arábia Saudita.

    "Quando eu estava em Omã, o sultão Qaboos [bin Said] confirmou imediatamente que a El Al [bandeira de Israel] pode sobrevoar Omã", disse Netanyahu a repórteres, segundo o jornal The Times of Israel.

    Conversando com repórteres na conferência anual de embaixadores, Netanyahu acrescentou que "só falta uma pequena coisa para nós", referindo-se à necessidade de obter uma permissão semelhante de Riad.

    "Atualmente, podemos sobrevoar o Egito, o Chade e, provavelmente, podemos sobrevoar o Sudão, e lá podemos voar diretamente para o Brasil, o que economizaria cerca de duas horas", acrescentou o primeiro-ministro.

    Netanyahu fez uma visita a Omã em outubro, apesar do fato de os países não terem laços diplomáticos.

    De acordo com a imprensa, dado o fato de que Omã está localizado na costa sudeste da Península Arábica, na fronteira com o Iêmen, Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos — países que não têm relações diplomáticas com Israel — o acordo com Omã até agora não tem implicações práticas.

    Israel e a maioria dos estados árabes do Oriente Médio não têm relações diplomáticas. No entanto, Israel e vários países dos estados regionais, em particular a Arábia Saudita, estão envolvidos em contatos regulares não oficiais em vários níveis.

    Tags:
    The Times of Israel, Qaboos bin Said al-Said, Chade, Egito, Oriente Médio, Emirados Árabes Unidos, Arábia Saudita, Iêmen, Península Arábica, Omã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar