06:15 23 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Aeroporto Internacional de Damasco

    Mídia: Defesa aérea da Síria repele ataque ao Aeroporto de Damasco

    © REUTERS / Omar Sanadiki
    Oriente Médio e África
    URL curta
    12281

    Várias mídias sírias, incluindo o canal Ikhbariya, informaram neste domingo (9) que o sistema de defesa aérea de Damasco havia interceptado alvos inimigos nas proximidades do aeroporto internacional. Porém, a notícia foi descartada mais tarde.

    De acordo com o canal de televisão, o ataque pretendia acertar vários alvos na área.

    O Observatório Sírio para os Direitos Humanos, com sede no Reino Unido, disse que o som das explosões abalou uma área próxima ao aeroporto. O último incidente ocorre pouco mais de uma semana depois que a Síria acusou Israel de atacar o sul da capital, informou a AFP.

    Mais tarde, o canal sírio Ikhbariya desmentiu a notícia dizendo que "não houve nenhum ataque ao aeroporto" e sublinhou que este funciona em regime normal.

    Israel realizou centenas de ataques aéreos na Síria contra o que alega serem alvos iranianos, muitos deles na área ao sul de Damasco, segundo a imprensa local.

    Em outubro, a Rússia terminou de entregar o sistema S-300 a Damasco. A entrega dos sistemas foi anunciada depois que um avião militar Il-20 da Rússia ser abatido em 17 de setembro por um míssil lançado por um sistema de defesa aérea sírio S-200 contra jatos israelenses F-16 que realizavam ataques aéreos em Latakia.

    O Ministério da Defesa da Rússia culpou a Força Aérea de Israel pelo ataque, alegando que os jatos israelenses usaram a aeronave russa como escudo contra os sistemas de defesa aérea síria. Israel manifestou preocupação com a decisão da Rússia de fornecer à Síria sistemas S-300, observando que Damasco agora seria capaz de controlar o espaço aéreo israelense.

    Tags:
    S-200, S-300, Al-Ikhbariya, Observatório Sírio para os Direitos Humanos, Força Aérea de Israel, Latakia, Damasco, Síria, Israel, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar