10:46 13 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    USS John C. Stennis (CVN-74), um super-porta-aviões de propulsão nuclear norte-americano da classe Nimitz

    Imprensa: grupo de navios norte-americanos chega a Oriente Médio para combater terrorismo

    © flickr.com/ U.S. Pacific Command
    Oriente Médio e África
    URL curta
    12623

    O porta-aviões de propulsão nuclear estadunidense USS John C. Stennis, da classe Nimitz, entrou nas águas do Oriente Médio junto com um grupo de navios da Marinha dos EUA, cessando o período de oito meses durante o qual porta-aviões norte-americanos não estiveram presentes na região, segundo a mídia americana.

    O grupo aeronaval será baseado com a 5ª Frota, responsável pela atividade naval dos EUA no mar Arábico e golfo Pérsico, permanecendo na região durante pelo menos dois meses.

    De acordo com a mídia, o grupo de ataque está sendo posicionado para ajudar na luta contra o grupo terrorista Daesh no Iraque e na Síria e o Talibã no Afeganistão (ambos proibidos na Rússia e em outros países).

    Além disso, os responsáveis oficiais do Departamento de Defesa dos EUA confirmaram as informações anteriores de que os EUA estavam reforçando sua presença na região como uma "mensagem" para Teerã, sublinhando o propósito de fazer uma "demonstração de força ao Irã" através de sua presença.

    Anteriormente, o Pentágono anunciou que os EUA teriam de treinar mais 35.000 milícias locais para "garantir estabilidade" na região da Síria oriental, controlada pelos curdos depois de o grupo terrorista Daesh ter sido expulso.

    Mais:

    Ataque aéreo da coalizão internacional mata 8 civis na Síria, informa mídia
    Estado-Maior russo aponta número de terroristas eliminados na Síria em 2018
    Presença ilegal dos EUA na Síria visa desmembrar soberania do país, diz chancelaria russa
    Síria acusa os EUA de apoiar terrorismo com ataques ao seu exército
    Tags:
    presença militar, navios, terrorismo, USS John C. Stennis, Departamento de Defesa dos EUA, Daesh, Talibã, Iraque, Síria, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik