21:33 13 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Aeroporto de Sanaa, capital do Iêmen, após bombardeio (arquivo)

    Houthis rejeitam proposta do governo para inspecionar voos em Sanaa

    © Sputnik /
    Oriente Médio e África
    URL curta
    190

    O movimento iemenita dos houthis rejeitou uma proposta governamental que permitiria a reabertura do aeroporto da capital, Sanaa, controlada pelos militantes, desde que todos voos fizessem uma parada em um aeroporto do governo para inspeções nas aeronaves.

    Em entrevista à Al-Jazeera, o chefe da delegação houthi que participa das conversas de paz realizadas na Suécia, Mohammed Abdusalam, disse que a cidade portuária de Hodeida deve ser deixada de fora do conflito militar e um novo governo deve ser formado antes que as partes em conflito deponham suas armas. 

    O Iêmen se encontra mergulhado há cerca de quatro anos em um intenso conflito armado entre as forças do governo lideradas pelo presidente Abd Rabbuh Mansur Hadi e os rebeldes houthis. Uma coalizão árabe liderada pela Arábia Saudita vem realizando ataques aéreos contra os houthis desde o início de 2015, a pedido de Hadi. 

    Desde ontem, representantes do governo iemenita e dos rebeldes houthis se encontram em reunião no castelo de Johannesbergs, localizado a cerca de 60 km de Estocolmo, tentando negociar, pela primeira vez desde 2016, os termos para o fim da guerra no país, sob mediação das Nações Unidas. 

    Mais:

    Coalizão saudita permitirá evacuação de houthis feridos do Iêmen
    Pior crise humanitária do mundo: ONU busca intermediar fim da guerra civil no Iêmen
    Tags:
    houthis, Johannesbergs, Al-Jazeera, Abd Rabbuh Mansur Hadi, Mohammed Abdusalam, Suécia, Arábia Saudita, Sanaa, Iêmen
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik