17:02 09 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Submarino israelense da classe Dolphin I

    Israel admite ter afundado por engano barco com civis há 36 anos

    © AP Photo / Amir Cohen
    Oriente Médio e África
    URL curta
    523

    A divulgação de informações secretas de que um navio de refugiados libaneses foi afundado por engano por um submarino israelense somente foi possível depois de um processo judicial perante o Supremo Tribunal, relatou o Channel 10.

    O incidente aconteceu durante a Guerra do Líbano de 1982 e causou a morte de 25 pessoas. Naquele período, as tropas israelenses realizaram uma ofensiva contra palestinos no país vizinho.

    O capitão do submarino pensou que o barco estava transportando combatentes palestinos fugindo das Forças de Defesa de Israel (IDF), e deu uma ordem para disparar dois torpedos contra a embarcação.

    O navio partiu para o Chipre com 54 refugiados libaneses a bordo. Observa-se que, naquele período, o mar da área estava repleto de embarcações com terroristas e civis que fugiam da guerra, informou o canal israelense.

    A rede de televisão frisou que a tripulação do submarino foi proibida de ajudar as pessoas que naufragaram, assim, o capitão libanês e outras 24 pessoas morreram durante o ataque israelense. 

    A investigação, realizada pelas IDF, alegou que não encontrou nenhuma razão para processar a tripulação do submarino que, ao ver os homens vestidos de maneira similar, concluíram que eram militantes uniformizados. 

    Segundo o Channel 10, as IDF tentaram evitar que o incidente se tornasse público, em parte, porque estavam envergonhados pelo ocorrido.

    Mais:

    'Guarda-chuva protetor' da Rússia dificulta planos de Israel, diz mídia
    Relatório: China constrói mais submarinos nucleares do que EUA pensavam
    Reino Unido envia submarino de ataque para 'ficar de olho' na Rússia
    Tags:
    refugiados, morte, incidente, submarino, Guerra do Líbano, Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik