18:00 09 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Multidão assista à conferência de paz

    Derrube de Bashar Assad não está entre objetivos dos EUA, diz diplomata

    © Sputnik / Ilia Pitalev
    Oriente Médio e África
    URL curta
    1305

    A substituição das atuais autoridades sírias não está entre objetivos estadunidenses no Oriente Médio, pois o país está comprometido com o processo de resolução política, disse à RIA Novosti e ao jornal Kommersant o enviado especial dos EUA para a Síria, James Jeffrey.

    Vale ressaltar que, enquanto a Rússia reitera que o destino de Bashar Assad deve ser decidido pelo próprio povo sírio, alguns países do Ocidente, inclusive os EUA, insistem que Assad deve abandonar o poder, considerando saída dele um fator-chave da regularização síria.

    Entretanto, o diplomata se referiu ao líder sírio de forma pouco agradável, falando com a RIA Novosti e com o jornal Kommersant.

    "Acreditamos que ele [Bashar Assad] envergonha a humanidade. Ele é um impiedoso criminoso militar, talvez o maior e o mais impiedoso criminoso militar do mundo hoje em dia. Não obstante, embora os EUA nunca venham a ter boas relações com Bashar Assad, nos comprometemos com o processo político que vai se realizar em conjunto com o povo sírio e pelo próprio povo sírio", disse Jeffrey.

    O representante oficial acrescentou que "cabe ao povo sírio decidir quem vai governá-lo e que governo ele terá".

    "Não temos como objetivo nenhuma mudança de regime. Temos como objetivo a mudança de comportamento deste regime, em primeiro lugar, em relação a seus próprios cidadãos, depois aos vizinhos, mais tarde à comunidade internacional, se falarmos do uso de armas químicas, torturas, ameaças colossais à região, em resultado do envolvimento do Irã, em resultado, ainda que de modo indireto, do desastre do Daesh [organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países] na região e na Europa, e do fluxo de refugiados que se tornaram um fardo para a Europa e a Turquia, o Líbano e a Jordânia", disse.

    De acordo com ele, tem uma "lista longa" daquilo que os EUA consideram inaceitável, que o país não gosta no governo sírio e que este "precisa mudar para conseguir a verdadeira paz e a verdadeira regularização das discordâncias com a comunidade internacional", e isto tudo está relacionado "não apenas a Assad", precisou Jeffrey. O diplomata também se manifestou a favor da integridade territorial síria e descartou que os EUA queiram desmoronar o país.

    Mais:

    EUA adotam sanções contra empresas russas e iranianas por vender petróleo para Síria
    Lança-mísseis e helicópteros bombardeiros expulsam terroristas no sul da Síria (VÍDEOS)
    Caças russos Su-57 testam na Síria características de combate (VÍDEO)
    Tags:
    regime, integridade territorial, James Jeffrey, Bashar Assad, Síria, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik