03:16 14 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Militares russos treinam na academia da base aérea russa de Hmeymim, na Síria

    Enviado dos EUA: as forças militares estrangeiras, tirando as russas, devem deixar a Síria

    © Sputnik / Maksim Blinov
    Oriente Médio e África
    URL curta
    1081

    O enviado especial dos Estados Unidos para a Síria, James Franklin Jeffrey, disse nesta terça-feira que assim que as tropas iranianas deixarem o território sírio e uma solução política for encontrada, todas as outras forças estrangeiras estarão prontas para também saírem do país, com exceção da Rússia.

    De acordo com Jeffrey, essa questão não deve afetar os russos porque Moscou já mantinha bases militares no Estado árabe antes da guerra civil, iniciada em 2011. Por esse motivo, Washington não incluiu a retirada russa em sua lista de demandas. 

    "Os russos, por já estarem lá antes, não se retirariam na verdade. Mas você tem outras quatro forças militares de fora, todas operando na Síria neste momento. É uma situação perigosa", afirmou o enviado, se referindo a Israel, Turquia, Irã e aos próprios americanos. 

    Ainda segundo o funcionário do governo de Donald Trump, o objetivo dos EUA na Síria não é apenas uma derrota duradoura do grupo terrorista Daesh, mas também encontrar uma solução política para o conflito, garantindo a saída das forças internacionais. Para ele, o atual líder do país, Bashar Assad, não tem futuro como chefe de Estado, mas não faz parte do trabalho dos Estados Unidos tirá-lo do poder. 

    Mais:

    EUA adotam sanções contra empresas russas e iranianas por vender petróleo para Síria
    Piloto conta sobre uso de caça russo Su-57 na Síria
    Caças russos de 5ª geração sobrevoam Síria e testam seu potencial em combate
    Lança-mísseis e helicópteros bombardeiros expulsam terroristas no sul da Síria (VÍDEOS)
    Mais de 21 mil refugiados retornaram à Síria desde agosto por Deir ez-Zor
    Tags:
    Donald Trump, James Franklin Jeffrey, Bashar Assad, Washington, Moscou, Turquia, Irã, Israel, Síria, Rússia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik