04:26 11 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Pessoas seguram sinais durante um protesto na Embaixada da Arábia Saudita sobre o desaparecimento do jornalista saudita Jamal Khashoggi.

    França elogia investigação sobre assassinato de Khashoggi

    © AP Photo/ Jacquelyn Martin
    Oriente Médio e África
    URL curta
    102

    A investigação feita pela promotor público ds Arábia Saudita sobre o assassinato do jornalista Jamal Khassoggi está correndo na direção correta, afirmou nesta quinta-feira (15) o Ministério das Relações Exteriores da França.

    O vice-procurador público saudita disse mais cedo que Riade pretende pedir pena de morte para 5 dos 11 suspeitos acusados pelo assassinato do jornalista dentro da embaixada saudita em Istambul, conforme relatado pela Reuters.

    "Nós solicitamos que as responsabilidades sejam claramente estabelecidas e que os perpetradores respondam a elas em um julgamento real", afirmou a porta-voz da Chancelaria francesa, Agnes von der Muhll.

    O anúncio das autoridades sauditas de que 18 pessoas foram presas devido à investigação está na direção certa", afirmou.

    Apesar de Paris alertou para a aplicação de possíveis sanções uma vez que o crime seja solucionado, a reação do país tem sido realtivamente cautelosa

    A França pretende manter sua influência com Riade e proteger as mútuas relações comerciais em setores como energia, finanças e vendas de armamentos militares.

    Khashoggi era conhecido pelas críticas que tecia em relação à política saudita. Ele foi morto no dia 2 de outubro por um grupo que o aguardava dentro do consulado saudita na Turquia.

    Após uma luta com seus assassinos ele foi morto com uma injeção letal, como informou o vice-promotor público, Shalaan al-Shalaan, a repórteres.

    Mais:

    EUA sempre fizeram vista grossa para a Arábia Saudita, afirma ex-agente da CIA
    'Assustadoras': fitas do assassinato de jornalista chocaram oficial saudita, diz Erdogan
    Como Arábia Saudita teria arquitetado assassinato de inimigos iranianos? Mídia dá detalhes
    Snowden: empresa de Israel rastreou jornalista saudita assassinado
    Tags:
    relações exteriores, investigação, Agnes von der Muhll, Shalaan al-Shalaan, Istambul, Paris, Riade, Arábia Saudita, Turquia, França
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik