03:57 17 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Sistema de lançamento múltiplo de mísseis Solntsepyok (foto de arquivo)

    Limpeza total: lança-mísseis sírios e russos eliminam terroristas (VÍDEO)

    © Sputnik / Aleksandr Vilf
    Oriente Médio e África
    URL curta
    2130

    O novíssimo sistema lança-mísseis sírio Golan-1000 vem participando ativamente de uma operação militar de grande escala nas colinas de Tulul al-Safa, no deserto de As-Suwayda.

    Nas imagens captadas recentemente dos campos de combate se pode ver os lança-mísseis de fabricação síria em ação. Julgando pela sua quantidade, os sírios conseguiram iniciar a produção em série de munições para estes lançadores múltiplos de grande poder de destruição, de acordo com o portal Russkoe Oruzhie.

    Cada um dos mísseis deste "monstro" pesa cerca de meia-tonelada e possui um calibre de 500 mm. Estima-se que o alcance máximo do voo atinja 3 quilômetros.

    De acordo com o analista militar Yuri Lyamin, entrevistado pelo portal, o comando das tropas governamentais concentrou no deserto de Al-Safa uma poderosa força de ataque. O lança-mísseis Golan-1000 é considerado um dos mais potentes de seu tipo, tendo impressionado especialistas com suas características.

    Ao lado do Golan —1000 foram avistados Golan-250 e Golan-300. Além disso, para o local de combates foram transferidos lançadores múltiplos de mísseis TOS-1A Solntsepyok que possui um alcance de tiro maior – até seis quilómetros.

    Além dos sistemas mencionados, contra os terroristas estão operando obuseiros autopropulsados russos 2S3 Akatsiya de 152 mm.

    Ultimamente, o Exército sírio vem avançando na luta contra os terroristas na área, pretendendo libertá-la completamente no futuro próximo.

    Mais:

    Analista americano estima benefícios da operação militar na Síria para Rússia
    Rússia aperfeiçoa helicópteros de combate usando sua experiência na Síria
    Forças Armadas da Rússia: militantes planejam novas provocações químicas na Síria
    Tags:
    lançador de mísseis, combates, terroristas, Síria, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik