04:28 11 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Tanque do exército líbio durante confrontos com militantes em Benghazi, Líbia (foto de arquivo)

    Rússia não tomará lado no conflito da Líbia, diz governo

    © REUTERS / Esam Omran Al-Fetori
    Oriente Médio e África
    URL curta
    4120

    A Rússia não tomará partido no conflito da Líbia, pois está interessada na manutenção da integridade territorial do país, disse nesta terça-feira (13) o 1º vice-chefe de gabinete do governo russo, Sergei Prikhodko.

    O primeiro-ministro russo, Dmitry Medvedev, participará da Conferência de Palermo que tratará da questão do conflito na Líbia. O encontro será realizado nesta terça-feira (13).

    "Não tomamos partido no conflito intra-líbio. Guiados pelo interesse de preservar a soberania e integridade territorial da Líbia, mantemos contatos equilibrados com todas as principais forças político-militares do país", disse Prikhodko.

    "Nós acreditamos que não há alternativa ao processo de negociação. Todos os lados na Líbia devem continuar o diálogo em busca de compromisso, baseados do Acordo de Skhirat, a única base para alcançar tratados de longa duração conforme dito na resolução 2434 do Conselho de Segurança da ONU" acrescentou o 1º vice-chefe de gabinete do governo russo

    A guerra civil na Líbia se arrasta desde 2011 com dois governos rivais lutando pelo controle do país. Enquanto regiões orientais da Líbia são governadas por um parlamento com sede na cidade de Tobruk, um governo de Acordo Nacional, formado com o apoio da ONU e da Europa, opera no Oeste do país, inclusive na capital, Trípoli.

    Mais:

    Estatal de petróleo da Líbia demanda aumento salarial de 67%
    Mídia: inteligência britânica acusa Putin de 'querer transformar Líbia em nova Síria'
    'Líbia se tornou um reduto terrorista', diz vice-ministro de Relações Exteriores da Rússia
    Rússia e França examinam situação de Síria, Líbia e Iêmen
    Tags:
    Guerra do Líbia, Conselho de Segurança da ONU, ONU, Sergei Prikhodko, Dmitry Medvedev, Palermo, Trípoli, Líbia, Europa, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik