08:58 14 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Soldado norte-americano, à esquerda, sentado em veículo blindado perto da tensa linha de frente entre o Conselho Militar de Manbij, apoiado pelos EUA, e os combatentes apoiados pelos turcos, em Manbij, norte da Síria, 4 de abril de 2018

    Bombardeio da coalizão liderada pelos EUA mata 26 civis na Síria

    © AP Photo / Hussein Malla
    Oriente Médio e África
    URL curta
    15010

    Ataques aéreos da coalizão liderada pelos EUA contra o Daesh na cidade de Hajin, perto da fronteira iraquiana, mataram 26 civis, incluindo 14 crianças, informou a AFP nesta sexta-feira (9), citando informação do Observatório Sírio de Direitos Humanos.

    Na semana passada, o Ministério da Defesa da Rússia disse que os ataques aéreos indiscriminados da coalizão liderada pelos EUA levaram à morte de mais de 120 civis no leste da Síria no último mês. O ministério também disse que a coalizão liderada pelos EUA estava usando munições proibidas em seus ataques.

    A coalizão de mais de 70 países liderada pelos EUA está conduzindo operações militares contra o Daesh na Síria e no Iraque. As operações no Iraque são conduzidas em cooperação com o governo iraquiano, mas as da Síria não são autorizadas pelo governo do presidente Bashar Assad ou do Conselho de Segurança da da Organização das Nações Unidas (ONU).

    O diretor do Alto Comissário das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR) no Oriente Médio e Norte da África, Amin Awad, disse à Sputnik que alguns combatentes do Daesh e outros grupos extremistas ainda permanecem em numerosas áreas difíceis de alcançar.

    Mais:

    Rússia aperfeiçoa helicópteros de combate usando sua experiência na Síria
    Analista: mísseis S-300 estragam os planos dos EUA na Síria
    Exército: Síria tem direito de combater EUA no seu território de todos os modos possíveis
    EUA querem saída da Síria das forças estrangeiras que estão lá desde 2011
    EUA dizem estar preocupados com instalação de sistemas S-300 na Síria
    Tags:
    ACNUR, Estados Unidos, Síria, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik