13:15 14 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Família iraniana caminha em frente a grafite anti-Estados Unidos em Teerã.

    Restrições dos EUA são 'golpe crítico' contra presença iraniana na Síria, diz Israel

    © AFP 2018 / ATTA KENARE
    Oriente Médio e África
    URL curta
    1039

    A restauração das sanções americanas contra o Irã é um "golpe crítico" contra sua presença no Oriente Médio, inclusive na Síria, declarou o ministro da Defesa de Israel, Avigdor Lieberman.

    O segundo pacote de sanções dos EUA, que tem como alvo o setor energético do Irã, entrou em vigor nesta segunda-feira (5). Washington fala sobre esforços para bloquear totalmente a exportação do petróleo iraniano e insta a comunidade mundial a abandonar as compras deste combustível aos iranianos.

    "A decisão ousada do presidente Trump é a mudança radical que o Oriente Médio estava esperando. Em um único movimento, os Estados Unidos dão um 'golpe crítico' contra o fortalecimento do Irã na Síria, Líbano, Gaza, Iraque e Iêmen. Presidente Trump, você fez isso de novo! Obrigado", disse o ministro israelense em seu Twitter.

    Além disso, as sanções americanas também foram classificadas pelo Ministério das Relações Exteriores de Israel como "um importante passo para convencer os aiatolás a abandonar as atividades terroristas que ameaçam a região".

    Recentemente, o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, agradeceu o presidente dos EUA por seu "passo histórico".

    "Obrigado, presidente Trump, por este passo histórico. As sanções estão realmente começando", disse o premiê de Israel, adicionando que "o efeito das sanções iniciais já está sendo sentido", a moeda nacional iraniana está em declínio.

    Mais:

    EUA estão confiantes que Teerã não retomará programa nuclear em meio a sanções
    Quais serão as consequências do 2º pacote de sanções contra Irã? Especialista responde
    Venezuela usa seu petróleo bruto para contornar sanções dos EUA
    Coreia do Norte ameaça retomar produção de armas nucleares se EUA não acabarem com sanções
    Tags:
    efeitos, setor energético, golpe, exportações, petróleo, sanções, Donald Trump, Avigdor Lieberman, Benjamin Netanyahu, Irã, Síria, Israel, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik