09:16 19 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Um oficial saudita abre a porta do consulado da Arábia Saudita em Istambul durante uma manifestação pelo jornalista desaparecido Jamal Khashoggi.

    Turquia: Jornalista saudita foi 'estrangulado' e teve corpo 'desmembrado e destruído'

    © AFP 2018 / OZAN KOSE
    Oriente Médio e África
    URL curta
    607

    O procurador-geral de Istambul, Irfan Fidan afirmou hoje que o jornalista saudita Jamal Khashoggi foi estrangulado assim que entrou no consulado saudita em Istambul. Fidan disse ainda que o assassinato foi premeditado e que o corpo de Jamal foi desmembrado e posteriormente destruído.

    O gabinete do procurador-geral de Istambul também avaliou que as discussões com o procurador-geral saudita, Saud al-Mojeb não produziram "resultados concretos" apesar dos "esforços bem-intencionados" da Turquia em descobrir a verdade sobre o assassinato.

    A declaração é a primeira confirmação pública feita por um oficial turco de que Khashoggi foi estrangulado e desmembrado depois de entrar no Consulado da Arábia Saudita em 2 de outubro. Ele tentava obter a documentação necessária para se casar com sua noiva turca.

    A Turquia tenta a extradição de 18 suspeitos sauditas presos na Arábia Saudita pela morte de Khashoggi, além de pressionar Riade por informações sobre o corpo do jornalista. Autoridades sauditas têm reafirmado o compromisso do Reino em julgar os 18 suspeitos após a conclusão da investigação.

    Tags:
    Procuradoria-Geral da Turquia, Saud al-Mojeb, Irfan Fidan, Jamal Khashoggi, Riade, Istambul, Turquia, Arábia Saudita
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik