03:37 18 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Pessoas seguram sinais durante um protesto na Embaixada da Arábia Saudita sobre o desaparecimento do jornalista saudita Jamal Khashoggi.

    Canada diz que versão da Arábia Saudita para assassinato de Khashoggi é incoerente

    © AP Photo/ Jacquelyn Martin
    Oriente Médio e África
    URL curta
    240

    O Canadá condenou neste sábado (20) a versão da Arábia Saudita sobre a morte do jornalista dissidente Jamal Khashoggi como incoerente e inábil - e pediu uma investigação "completa".

    Depois de duas semanas de negação, Riad admitiu que Khashoggi, um crítico proeminente do poderoso príncipe herdeiro Mohammed bin Salman, foi morto dentro de seu consulado em Istambul. Contudo, não foi fornecida nenhuma informação sobre o paradeiro de seu corpo.

    "O Canadá condena o assassinato do jornalista Jamal Khashoggi, que o Reino da Arábia Saudita confirmou ter ocorrido em seu consulado em Istambul", afirmou a ministra das Relações Exteriores, Chrystia Freeland, em comunicado. "As explicações oferecidas até hoje não têm consistência e credibilidade".

    Ancara prometeu revelar todos os detalhes de um inquérito de duas semanas.

    Autoridades turcas acusaram Riad de realizar um assassinato e desmembramento patrocinado pelo Estado.

    "Reiteramos nosso apelo por uma investigação completa, em total colaboração com as autoridades turcas, e uma contabilidade completa e rigorosa das circunstâncias que cercam a morte de Khashoggi", disse Freeland.

    "Os responsáveis ​​pelo assassinato devem ser responsabilizados e devem enfrentar a justiça."

    Mais:

    Trump lamenta morte de jornalista, mas defende Arábia Saudita para contrapor o Irã
    Washington Post pede mais pressão sobre Arábia Saudita em caso de jornalista desaparecido
    EUA vs Arábia Saudita: devemos esperar um 'cenário apocalíptico'?
    Arábia Saudita se prepara para admitir a morte de Khashoggi, diz emissora de TV
    Tags:
    Arábia Saudita, Canadá
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik