03:33 18 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Pessoas seguram sinais durante um protesto na Embaixada da Arábia Saudita sobre o desaparecimento do jornalista saudita Jamal Khashoggi.

    Associação da Imprensa Turco-Árabe: governo saudita é responsável pela morte de Khashoggi

    © AP Photo/ Jacquelyn Martin
    Oriente Médio e África
    URL curta
    560

    As autoridades da Arábia Saudita são responsáveis ​​pelo assassinato do jornalista saudita Jamal Khashoggi, disse neste sábado o presidente da Associação da Imprensa Turco-Árabe, Turan Kislakci, exigindo punição para os mandantes da morte de Khashoggi.

    A Arábia Saudita admitiu na sexta-feira que Khashoggi morreu em uma briga no consulado saudita em Istambul em 2 de outubro, depois de ter negado conhecimento de seu paradeiro por duas semanas. Riad informou que 18 pessoas foram presas.

    "Nosso querido amigo, jornalista e membro da nossa associação, foi assassinado… da maneira mais brutal… Queremos que seus assassinos sejam punidos. No entanto, não queremos punição só de 18 pessoas, mas também das autoridades que deram ordens", declarou Kislakci durante uma coletiva de imprensa.

    Khashoggi, que trabalhava para o jornal The Washington Post como colunista e é conhecido por suas críticas às autoridades sauditas, desapareceu em Istambul no dia 2 de outubro, depois de ter entrado no consulado saudita.

    Em meio às tensões políticas provocadas pela morte de Khashoggi, muitos grandes atores das finanças internacionais, incluindo o CEO da JPMorgan Chase Co, Jamie Dimon, e o da Ford Motor Co, Bill Ford, já cancelaram sua participação em um conferência de investimentos saudita, agendada entre 23 e 25 ​​de outubro.

    Mais:

    Trump lamenta morte de jornalista, mas defende Arábia Saudita para contrapor o Irã
    Sauditas reconhecem assassinato de jornalista desaparecido e culpam briga com 'terceiros'
    Pompeo: EUA devem dar aos sauditas mais dias para investigar desaparecimento de jornalista
    Sauditas seguem recebendo apoio militar dos EUA no Iêmen, mesmo após morte de jornalista
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik