00:09 18 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Forças dos EUA na Síria (foto de arquivo)

    Até o último iraniano: EUA prometem manter-se na Síria enquanto Teerã ali estiver

    © AFP 2018 / DELIL SOULEIMAN
    Oriente Médio e África
    URL curta
    14415

    As forças norte-americanas permanecerão na Síria enquanto lá houver militares ligados ao Irã, assegura o conselheiro de Segurança Nacional dos EUA.

    A afirmação foi feita por John Bolton no âmbito da sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York na segunda-feira (24).

    "Não vamos embora enquanto as tropas iranianas estiverem fora das fronteiras" de seu país, "e isso inclui os representantes e milícias iranianos", assegurou Bolton, citado pela agência Reuters.

    Ao mesmo tempo, ele acusou o Irã de realizar "ataques na Síria e no Líbano" e disse que os iranianos foram responsáveis pela derrubada do avião russo [Il-20] na semana passada.

    Durante quanto tempo as Forças Armadas iranianas vão permanecer na Síria?

    Apesar da posição dura dos EUA, o Irã pretende manter sua presença na Síria para "lutar contra o terrorismo a pedido do governo legítimo do país" até que os grupos terroristas que operam neste país árabe sejam completamente derrotados, segundo afirmou recentemente o presidente da República Islâmica, Hasan Rouhani, em entrevista ao canal de televisão americano NBC.

    Na mesma entrevista, o líder iraniano complementou seu discurso falando que a presença iraniana "não serve para impor nossa vontade a ninguém".

    As relações entre Washington e Teerã se agravaram em meados deste ano, quando os Estados Unidos saíram unilateralmente do acordo nuclear iraniano, voltando a introduzir sanções anteriormente suspensas contra o Irã.

    Mais:

    Guarda Revolucionária do Irã promete vingança 'mortal' contra terroristas, diz imprensa
    Ataque terrorista no Irã tem ligação com EUA e Israel, diz porta-voz do Exército iraniano
    Ministro do Irã ironiza pedido dos EUA por novo acordo após violarem o último
    Tags:
    combate ao terrorismo, presença militar, tropas estrangeiras, Irã, Síria, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik