15:52 15 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Sistemas de defesa antimísseis S-400 da Rússia (foto do arquivo)

    Embaixador saudita teme sanções dos EUA por compra do sistema S-400 russo

    © Sputnik / Sergey Malgavko
    Oriente Médio e África
    URL curta
    871

    Depois que os Estados Unidos impuseram sanções à China pela compra de um sistema de defesa aérea russo, a Arábia Saudita, que está em negociações para comprá-lo também, espera que não sofra o mesmo destino. Afinal, é um dos maiores aliados de Washington.

    "Espero que ninguém imponha quaisquer sanções sobre nós", disse o embaixador saudita na Rússia, Raid bin Khalid Krimli, falando à mídia em Moscou. Os problemas técnicos da compra estão sendo discutidos, acrescentou ele.

    A Rússia e a Arábia Saudita estão em negociações para a compra do sistema de defesa aérea S-400, embora nada tenha sido finalizado. Enquanto isso, os EUA estão insatisfeitos com outros países que querem obter sistemas russos e já aplicaram sanções à China por isso.

    A Turquia, um membro da OTAN como os EUA, é o próximo na fila para obter seus S-400, e também está em desacordo com Washington sobre isso.

    No início de setembro, o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, criticou duramente a recomendação do secretário da Defesa norte-americano, James Mattis, contra o acordo, dizendo que Ancara não precisa da "permissão de ninguém" para comprar as armas.

    A Índia, outro potencial comprador, também não se incomoda com a perspectiva de sanções norte-americanas.

    Qatar e Egito também estão na lista de possíveis clientes. Qualquer um que compre sistemas russos é um alvo potencial para sanções secundárias dos Estados Unidos sob o Ato contra os Adversários da América (CAATSA). A China, atualmente engajada em uma amarga guerra comercial com os EUA, tornou-se a primeira a ser atingida.

    No entanto, isso pode ser estranho para a Arábia Saudita, já que as vendas de armas de Washington para Riad valem dezenas de bilhões de dólares. Os sauditas são o segundo maior comprador de armas do mundo e compram 61% de suas armas dos EUA.

    Os EUA e os sauditas também cooperam em ações e exercícios militares em todo o Oriente Médio. A esse respeito, as esperanças do embaixador Krimli parecem justificadas.

    Mais:

    Premiê da Espanha reafirma apoio à rescisão da venda de bombas para a Arábia Saudita
    Irã: 'Arábia Saudita e Emirados Árabes transformaram a OPEP em um joguete dos EUA'
    Espanha cancela venda de armas à Arábia Saudita devido a 'atrocidades' na guerra do Iêmen
    Tags:
    segurança, defesa, sistema antiaéreo, s-400, James Mattis, Raid bin Khalid Krimli, Recep Tayyip Erdogan, Estados Unidos, Arábia Saudita, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik