09:44 10 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Caça israelense F-16 (foto de arquivo)

    Operador de satélites israelense publica FOTOS de alvo bombardeado na Síria

    CC BY-SA 2.0 / Rob Schleiffert / F-16I Israel
    Oriente Médio e África
    URL curta
    Il-20 russo derrubado na Síria (39)
    12720

    O operador de satélites israelense ImageSat International publicou fotos que, segundo a empresa, mostram as consequências do ataque da aviação israelense às instalações sírias em Latakia, durante o qual foi derrubado erradamente um avião russo Il-20.

    Nas imagens de satélite de 18 de setembro se pode ver um armazém de munições destruído pelo bombardeio de Israel.

    "O armazém de munições atingido há dois dias em Latakia, Síria, está completamente destruído", diz a descrição da postagem da ImageSat International no Twitter.

    Os militares israelenses afirmaram que o alvo atacado pertencia às Força Armadas da Síria e continha "sistemas para fabricar armas letais de precisão" que poderiam ser enviadas "em nome do Irã" ao movimento Hezbollah, no Líbano.

    O Ministério da Defesa russo acusa os pilotos israelenses de, ao atacarem as instalações sírias, terem usado o avião militar Il-20 russo como um escudo contra os sistemas de defesa antiaérea sírios.

    O comando israelense expressou suas condolências à Rússia pela morte de 15 militares, mas atribuiu toda a responsabilidade pelo acontecido às forças governamentais sírias, afirmando que estas estavam disparando caoticamente sem ter verificado que na zona havia um avião russo. Segundo a versão de Israel, no momento da derrubada do Il-20, seus caças F-16 já estavam no espaço aéreo de Israel.

    Tema:
    Il-20 russo derrubado na Síria (39)

    Mais:

    Analista vê desinteresse de Israel pela eliminação do terrorismo na Síria
    Israel pode perder liberdade de ação na Síria após incidente com Il-20 russo
    Tags:
    avião, derrubada, armazém, instalações militares, bombardeio, ataque aéreo, Il-20, Latakia, Rússia, Síria, Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik