07:27 15 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Militantes do grupo terrorista Daesh (proibido na Rússia) no Afeganistão

    Enviado russo: número de terroristas do Daesh no Afeganistão pode chegar a 10 mil

    © Foto : Youtube/PressTV Documentaries
    Oriente Médio e África
    URL curta
    211

    A organização terrorista do Estado Islâmico (Daesh) está em ascensão no Afeganistão, e o número de combatentes do grupo poderá em breve aumentar para 10 mil membros no país, conforme alertou o embaixador russo nas Nações Unidas, Vasily Nebenzya, durante um encontro do Conselho de Segurança nesta segunda-feira.

    "No foco de nossa atenção está um surto de atividade terrorista da ala afegã do ISIL [Daesh], cujas fileiras estão crescendo em grande parte devido a combatentes estrangeiros com experiência no campo de batalha na Síria e no Iraque", disse Nebenzya. "De acordo com nossas informações, o número de adeptos do ISIL pode chegar a 10.000 indivíduos".

    De acordo com o diplomata, a Rússia está preocupada com as tentativas do Daesh de chegar a um acordo com o Talibã e outras organizações, em um esforço para coordenar as operações. Segundo ele, é necessário alavancar de forma proativa os mecanismos de sanções do Conselho de Segurança da ONU. Nesse sentido, Moscou defende a adoção de barreiras adicionais para antecipar a atividade terrorista no país ao visar indivíduos e entidades cúmplices nas operações do Daesh.

    Para Nebenzya, a luta contra militantes do Daesh no Afeganistão tem tudo para ser mais efetiva se houver uma união real de esforços regionais e internacionais contra o grupo. 

    Mais:

    Autoridades alemãs prendem suspeito vinculado ao Daesh que retornou da Síria
    Forças Democráticas da Síria iniciam ofensiva contra restos do Daesh no nordeste da Síria
    Serviços secretos russos detêm membro do Daesh que trabalhava para inteligência ucraniana
    ONU: Daesh criou sistema eficiente para compra de material explosivo
    Tags:
    terroristas, Daesh, Talibã, Vasily Nebenzya, Afeganistão, Moscou, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik