14:27 25 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Presidente iraniano, Hassan Rouhani, falando durante uma reunião com os ministros em Teerã, Irã, 11 de outubro de 2017

    EUA estão passando pelo pior período de sua história, declara presidente do Irã

    © AP Photo/ Sem credencial
    Oriente Médio e África
    URL curta
    17246

    O presidente iraniano, Hassan Rouhani, comunicou anteriormente que os Estados Unidos "estão mais isolados do que nunca" devido a sanções contra a República Islâmica.

    A agência de notícias iraniana Fars citou as palavras do presidente do Irã sobre os EUA estarem enfrentando pior período de sua história.

    "Hoje, há alguns pesquisadores, intelectuais e especialistas nos EUA que compartilham a mesma opinião daqueles que estão na Casa Branca, e alguns daqueles que explicitamente se referem [a políticos americanos] como idiotas. Isso raramente aconteceu na história dos EUA", disse o presidente iraniano durante reunião de gabinete.

    Ele se referiu a aliados leais e a parceiros tradicionais de Washington, que agora estão "orgulhosamente se distanciando dos EUA", o que é apoiado por vários países de "má fama".

    "Os EUA estão hoje na pior situação global, e até mesmo organizações internacionais, como a UNESCO, Nações Unidas, Agência Internacional de Energia Atômica [IAEA] e Corte Penal Internacional, não aprovam a política americana", ressaltou.

    Com relação à pressão da Casa Branca sobre Teerã, após a saída de Washington do acordo nuclear iraniano, assinado em 2015, o líder iraniano enfatizou que seu país está atualmente enfrentando uma guerra econômica e entrando em contato com aqueles que preferem ignorar as normas internacionais.

    Rouhani prometeu em agosto que Irã superaria os desafios econômicos e mostraria "às autoridades anti-iranianas na Casa Branca" que a política de sanções de Washington acabaria fracassando.

    As declarações vieram depois que o presidente iraniano enfatizou que "os Estados Unidos estão mais isolados do que nunca por causa da questão das sanções", acrescentando que "as ações ilegais dos EUA […] o isolaram entre seus próprios aliados, como acabamos de ver".

    No início de maio, o presidente dos Estados Unidos anunciou a saída dos EUA do acordo com o Irã, também conhecido como Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA), e retorno da imposição de sanções contra Teerã e contra qualquer país ou empresa que negocie com a República Islâmica.

    No dia 5 de agosto, entrou em vigor a primeira fase de restrições econômicas, que inclui a proibição de comprar moeda norte-americana, o comércio de ouro e outros metais preciosos, bem como a compra de alumínio e aço para fins industriais. Enquanto que a segunda parte, que inclui sanções às operações portuárias do Irã, ao setor de energia e às transações externas, deve ser introduzida no início de novembro.

    Mais:

    Irã: presença dos EUA na Síria 'deve terminar imediatamente'
    Estudo descarta vínculos entre Irã e Al-Qaeda no planejamento de ataques terroristas
    Irã: EUA jogam culpa em nós dos 'horrores' causados por eles mesmos no Oriente Médio
    Como mídia americana pode ajudar Pentágono a atacar Irã e Hezbollah na Síria?
    Tags:
    americanos, isolamento, história, sanções, Casa Branca, UNESCO, Hassan Rouhani, Teerã, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik