08:36 16 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Vista de Teerã, capital iraniana

    Estudo descarta vínculos entre Irã e Al-Qaeda no planejamento de ataques terroristas

    © Fotolia / Borna_Mir
    Oriente Médio e África
    URL curta
    860

    Um estudo realizado pelo site norte-americano New America não encontrou nenhuma evidência de uma possível cooperação entre o Irã e a Al-Qaeda em relação ao planejamento de ataques terroristas, como alega a Administração Trump, que sugere a existência de laços estreitos entre o país e a organização terrorista.

    Aproximadamente 300 documentos apreendidos no esconderijo de Osama bin Laden no Paquistão serviram de base para uma análise detalhada no estudo, publicado no sábado (8). 

    O debate sobre a suposta relação entre o Irã e a Al-Qaeda surgiu nos finais de 2001, quando alguns membros deste grupo terrorista fugiram do Irã após o derrube por Washington do governo Talibã no Afeganistão, que os apoiava. 

    No entanto, os arquivos de bin Laden mostram que o Irã estava desconfortável com a presença de combatentes em seu território, explica Nelly Lahoud, autora do estudo e especialista em Al-Qaeda.

    A princípio, Teerã tentou enviar o maior número possível de combatentes para países terceiros, e posteriormente, deteve membros da Al-Qaeda, inclusive familiares de bin Laden, segundo a pesquisadora.

    Logo após a invasão do Iraque pelos EUA em 2003, as políticas do Irã endureceram ainda mais, proibindo até mesmo que os detidos da Al-Qaeda deixassem o país.

    Além disso, o grupo terrorista também via Teerã com profunda desconfiança, e o considerou como "uma entidade hostil". Essa "hostilidade" era patente nos documentos revisados para o estudo em questão, relataram os especialistas.

    Em resumo, "os documentos examinados não fornecem nenhuma evidência de cooperação entre a Al-Qaeda e o Irã no planejamento ou execução de ataques terroristas", conclui a pesquisa.

    Um dos argumentos que Trump e os membros de seu governo têm procurado para justificar uma política mais dura em relação à República Islâmica é o suposto apoio iraniano a grupos terroristas como a Al-Qaeda. Ademais, Trump também acusou Teerã de apoiar grupos terroristas ao anunciar a retirada dos EUA do acordo nuclear iraniano em maio.

    Mais:

    Pentágono realizou 17 ataques aéreos contra Al-Qaeda no Iêmen nos últimos 3 meses
    Al-Qaeda é mais rica que o Daesh, mas EUA veem mais perigo no Irã, diz oficial russo
    Fusão entre Daesh e Al-Qaeda pode gerar grupo capaz de produzir armas químicas
    15º aniversário: como EUA tentaram combater Al-Qaeda, mas provocaram criação do Daesh
    Tags:
    vínculo, grupos rebeldes, estudo, terrorismo, Al-Qaeda, Osama bin Laden, Teerã, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik