00:21 25 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Sede do Pentágono em Washington, EUA

    Militares dos EUA estudam opções em caso de uso de armas químicas pela Síria

    © AFP 2018 / STAFF
    Oriente Médio e África
    URL curta
    317

    O principal general dos EUA disse nesta sexta-feira (7) que estava envolvido em "diálogos de rotina" com o presidente Donald Trump sobre opções militares se a Síria ignorar as advertências de Washington contra o uso de armas químicas em um ataque no enclave de Idlib.

    O general dos fuzileiros navais, Joseph Dunford, disse que nenhuma decisão foi tomada pelos Estados Unidos para empregar força militar em resposta a um ataque químico na Síria.

    "Mas estamos em um diálogo, um diálogo de rotina, com o presidente para garantir que ele saiba onde estamos no que diz respeito ao planejamento no caso de armas químicas serem usadas", afirmou. 

    Ao conversar com um pequeno grupo de repórteres durante uma viagem à Índia, Dunford acrescento que o presidente norte-americano "espera que tenhamos opções militares e tenhamos atualizações sobre o desenvolvimento dessas opções militares".

    Anteriormente, o embaixador russo na ONU, Vasili Nebenzia, disse que cerca de 50 mil terroristas estão operando na cidade de Idlib, no noroeste da Síria, acrescentando que parceiros ocidentais estão "agitando a tensão em torno de Idlib", mas procuram evitar a eliminação do último território dominado por terroristas na Síria.

    Mais:

    Embaixador da Rússia na ONU diz que cerca de 50 mil terroristas operam em Idlib
    Putin: terroristas estão preparando provocações na província síria de Idlib
    Ataque israelense poderia atrapalhar operação em Idlib?
    Especialista apresenta previsão do desenvolvimento da situação em Idlib
    Tags:
    ataque químico, armas químicas, Idlib, Síria, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik