19:56 24 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Manifestantes queimam prédio público demandando melhores serviços públicos e queda no desemprego na cidade de Basra, Iraque.

    Manifestantes no Iraque incendeiam consulado do Irã e fazem reféns

    © AP Photo / Nabil al-Jurani
    Oriente Médio e África
    URL curta
    943

    Desde a segunda-feira (3) a escalada de violência e protestos na região de Basra, no Iraque, já causou mortes e destruição. Os protestos são direcionados contra o desemprego e os serviços públicos de baixa qualidade, conforme afirma a Comissão de Direitos Humanos do Iraque.

    O consulado iraniano na área de al-Barda'iya, dentro da cidade, foi incendiado pelos manifestantes nesta sexta-feira (7), outra fonte disse à Sputnik. A agência Kurdistan 24 divulgou que os manifestantes também atacaram o consulado dos EUA.

    Os manifestantes também invadiram a refinaria Qurna Oeste 2, que é operada pela Lukoil, fazendo 2 funcionários da empresa como reféns, segundo divulgou a própria empresa e também a polícia local. Os funcionários foram libertados pouco tempo depois sem ferimentos.

    Ao menos 10 pessoas morreram desde o início dos protestos na cidade de Basra, segundo fontes da área de segurança e da saúde relataram.

    Outros prédios governamentais também foram invadidos, assim como o escritório de um canal de televisão estatal ainda na quinta-feira (6).

    As sedes de autoridades locais, assim como de partidos políticos, também foram incendiadas. Os manifestantes ainda bloquearam a entrada do maior porto do Iraque, em Umm Qasr.

    O governo do Iraque fará uma reunião extraordinária amanhã para discutir a situação.

    Mais:

    Maioria parlamentar é formada no Iraque: país começa processo de reconstrução
    Iraque e Irã dão mais um passo para pôr fim ao domínio do dólar
    Irã nega embarque de mísseis a grupos xiitas no Iraque
    Irã estaria movendo mísseis ao Iraque como mensagem de alerta aos seus inimigos
    Tags:
    protestos violentos, Lukoil, Kurdistan 24, Umm Qasr, Basra, Irã, Iraque
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik