22:49 24 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, chega à reunião semanal de gabinete em seu escritório em Jerusalém (arquivo)

    Netanyahu discute 'agressão do Irã' com enviado especial dos EUA para a Síria

    © REUTERS / Abir Sultan/Pool
    Oriente Médio e África
    URL curta
    11212

    O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu recebeu neste domingo em Tel-Aviv o representante especial americano para a Síria, James Jeffrey, para discutir a situação no Oriente Médio. As duas autoridades debateram principalmente as questões síria e iraniana, disse o gabinete do governo israelense.

    "O premiê Netanyahu se reuniu com o Representante Especial dos EUA para os Assuntos Sírios, James Jeffrey. Os dois discutiram a situação na Síria e o esforço conjunto para deter o terror e a agressão do Irã", disse o gabinete em um comunicado.

    Israel é um dos principais aliados dos EUA no Oriente Médio e um grande consumidor de armas e equipamentos militares americanos. Os dois Estados compartilham a mesma posição sobre a questão do Irã, unindo esforços para minimizar a influência de Teerã na região e na Síria. Israel expressou repetidas preocupações de segurança sobre a presença iraniana junto às suas fronteiras no país de Bashar Assad.

    O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do Irã, Bahram Qassemi, disse que Teerã manterá sua presença na Síria enquanto Damasco quiser. O diplomata observou que a luta contra o terrorismo era uma das tarefas das forças iranianas na Síria, além de conceder apoio ao governo do país devastado pela guerra.

    O principal conselheiro para assuntos internacionais do líder supremo iraniano, Ali Akbar Velayati observou que a presença iraniana na Síria foi coordenada com Moscou e Damasco e não precisou ser acordada com Israel.

    As relações entre Israel e a Síria são tensas, particularmente em relação às disputadas colinas de Golã. Israel ocupou a região após a Guerra dos Seis Dias de 1967 com a Síria e anexou o território em 1981. A comunidade internacional não reconhece a anexação.

    O ministro da Defesa de Israel, Avigdor Lieberman, disse em agosto que a Síria estava tentando reintegrar o exército do país ao nível pré-guerra e até mesmo aumentar o número de suas forças, destacando que Israel estava pronto para qualquer cenário.

    Tags:
    Guerra dos Seis Dias, Ministério da Defesa de Israel, Bahram Qassemi, Avigdor Lieberman, Bashar Assad, Benjamin Netanyahu, James Jeffrey, Ali Akbar Velayati, Oriente Médio, Irã, Colinas de Golã, Tel-Aviv, Israel, Rússia, Moscou, Síria, Damasco
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik