07:23 23 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Mísseis cruzam o céu sobre Damasco durante ataque norte-americano ao país, na noite entre 13 e 14 de abril

    Defesa antiaérea síria repele ataques de mísseis nos subúrbios de Damasco

    © AP Photo / Hassan Ammar
    Oriente Médio e África
    URL curta
    19332

    Fontes nos serviços de inteligência sírio informaram Sputnik sobre ataque aéreo nos subúrbios de Damasco, nos arredores de um dos aeroportos militares da cidade. A mídia estatal síria, SANA, no entanto, negou ataque.

    Explosões foram ouvidas vindas da direção da base aérea militar de Mezzeh, na Síria, nos arredores de Damasco, na madrugada do domingo, informou um morador da cidade e um canal de televisão libanês pró-Síria.

    A Síria já havia acusado Israel de atacar a base, o que Israel não confirmou especificamente, embora tenha reconhecido a realização de ataques aéreos na Síria.

    Fontes nos serviços de inteligência sírios confirmaram os ataques de mísses à Sputnik.

    Usuários compartilharam imagens do suposto ataque no Twitter.

    Reuters também citou o Observatório Sírio para os Direitos Humanos. Segundo essa organização, os ataques aéreos foram realizados por Israel e provocaram mortes e ferimentos entre os militares sírios.

    Já de acordo com a fonte da Sputnik, a base aérea militar de Mezzeh não foi afetada pelo ataque, mas houve explosões em um depósito de munição nas proximidades em função do ataque.

    A fonte especificou que os sistemas de defesa antiaérea da Síria repeliram os ataques aéreos.

    O jornal Times of Israel também reportou, citando fontes, que os ataques foram realizadas por aeronaves israelenses.

    Mais:

    Por que Trump se prepara para novo ataque contra Síria?
    Analista afirma que ataque estadunidense contra a Síria não é inevitável
    Defesa da Rússia revela quando acontecerá encenação de ataque químico na Síria
    Exército de Israel admite ataque à Síria como 'retaliação' (VÍDEO)
    Força aérea da Síria intercepta ataque de Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik