11:23 11 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Caças F16 turcos e poloneses realizam voos de demonstração durante a cúpula da OTAN em Varsóvia

    Washington está perdendo aliados: será que OTAN vai colapsar?

    © Sputnik / Aleksei Vitvitsky
    Oriente Médio e África
    URL curta
    6120

    Segundo o analista militar turco Nejat Eslen, a estratégia de intimidação e punição dos EUA leva à aproximação entre a Rússia, China, Turquia e Irã, o que, por sua vez, pode minar a liderança global dos EUA.

    Nejat Eslen revelou que o projeto Grande Oriente Médio e os acontecimentos da Primavera Árabe tiveram como objetivo a reorganização da região de acordo com os interesses dos EUA e de Israel. 

    Entretanto, nos últimos anos, a Rússia e a China fortaleceram significativamente as suas posições no palco mundial e o mundo fez a transição do sistema unipolar para o multipolar. O objetivo geopolítico dos EUA mudou de "hegemonia global" para "liderança global". Hoje em dia, a liderança global dos EUA está também em perigo e Trump está tentando preservar esse status, disse ao portal Odatv

    Nejat Eslen sublinha o papel da Turquia na política dos EUA e da OTAN. Sendo membro da OTAN, a Turquia desempenha o papel geopolítico de "zona tampão" entre o instável Oriente Médio e a Europa. Entretanto, hoje em dia, a Turquia se encontra em uma situação muito perigosa. O líder da OTAN, os EUA, representa uma ameaça séria para a Turquia e também faz parte da aliança. 

    Além disso, segundo a estratégia de segurança dos EUA, os aliados da Turquia, a Rússia e o Irã, representam ameaça para os interesses norte-americanos. O analista explicou que os EUA não querem que a Turquia tenha boas relações com Moscou e Teerã. Existe o sentimento generalizado de que foram os EUA quem estiveram por trás da tentativa de golpe de Estado na Turquia em 2016. Nejat Eslen declarou que hoje em dia a OTAN não garante a unidade territorial e a segurança da Turquia.

    O objetivo de Trump é "tornar a América grande novamente" e manter a sua liderança. Entretanto, sua estratégia se baseia na intimidação e punição. A Rússia, a China, o Irã e a Turquia, que enfrentam a mesma ameaça, estão se aproximando. 

    Segundo o analista, a cooperação entre esses quatro países pode levar à revisão do quadro geopolítico global. Tendo em consideração que essa situação é uma consequência da política errada do presidente dos EUA, ela poderia prenunciar mudanças profundas na OTAN, afastando a Turquia da OTAN e a aproximando do bloco euroasiático. 

    Mais:

    Países da OTAN estão agravando situação nas fronteiras da Rússia, comenta deputado
    Forças dos EUA ajudam tropas afegãs a resgatar dez reféns do Talibã, diz OTAN
    Tags:
    OTAN, Donald Trump, Turquia, China, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik